Viagens

Fotógrafo Sebastião Salgado plantou 2 milhões de árvores e salvou floresta no Brasil

Pequena organização criada pelo brasileiro em conjunto com a mulher fez com que uma zona morta voltasse a ter um ecossistema.
Juntos, criaram o Instituto Terra.

O fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, conhecido pelas suas fotografias a preto e branco, que foca as suas obras nas populações em deslocação e nos refugiados, tem sido o protagonista de notícias que estão a sensibilizar o mundo — e, desta vez, não é pela sua profissão. 

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação, 129 milhões de hectares de floresta desapareceram desde 1990 em todo o mundo. Isso equivale à perda de uma área do tamanho do Panamá, todos os anos. Face aos estragos que já foram feitos, o ser humano tem tendência a sentir-se impotente mas Sebastião Salgado veio provar exatamente o contrário.

Segundo o site “Bored Panda”, nos anos 90, depois de documentar o genocídio no Ruanda, Salgado voltou para casa (em Minas Gerais, no Brasil) e ficou chocado ao perceber que a área à volta tinha deixado de ser uma floresta tropical e estava agora estéril, sem qualquer vida selvagem. A partir daí, a mulher, Lélia Deluiz Wanick Salgado, teve a ideia de simplesmente voltar a plantar as árvores e reflorestar o que estava destruído. 

O casal criou o Instituto Terra, uma pequena organização que já plantou dois milhões de rebentos e assim renovou grande parte da floresta nos 20 anos seguintes. Numa entrevista dada ao jornal “The Guardian” em 2015, o fotógrafo explicou que, aos poucos, todos os insetos, pássaros e peixes tinham voltado à medida que as árvores iam crescendo. Ao assistir a isso, disse o próprio, também ele renasceu. 

Voltaram a habitar a zona cerca de 172 espécies de aves, 33 espécies de mamíferos, 293 espécies de plantas, 15 espécies de répteis e 15 de anfíbios. No fundo, reconstruiu-se um ecossistema inteiro a partir do zero. O casal garante agora que era exatamente essa a mensagem que queria passar ao mundo: o grande impacto que um pequeno grupo de pessoas dedicadas pode causar.

Sebastião Salgado é uma figura de renome, tendo já ganhado praticamente todos os grandes prémios da área do fotojornalismo. Também já publicou mais de meia dúzia de livros e tem um documentário chamado “O Sal da Terra”, que nos dá a conhecer o que está por trás do trabalho e do pensamento do repórter fotográfico.

20 anos depois.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT