Viagens

Há mais um destino europeu que quer começar a cobrar taxa turística

Assim como Veneza, a pequena vila suíça de Lauterbrunnen quer cobrar aos turistas que passam lá o dia.
Será uma taxa de 5€.

O excesso de turismo tem levado vários destinos a adotarem medidas para reduzirem o fluxo de visitantes. As estratégias passam por esconder rotas de autocarros, como aconteceu recentemente em Barcelona, colocar uma barreira para bloquear a vista do Monte Fuji, no Japão, ou restringir a venda de gelados, em Milão. Porém, uma das mais comuns continua a ser a cobrança de uma taxa turística.

Seguindo o exemplo de Veneza, a pequena vila de Lauterbrunnen, na região de Oberlan, nos Alpes suíços, também está a considerar a possibilidade de cobrar entrada para diminuir o excesso de turismo. Com 2.400 habitantes, a idílica localidade é frequentemente paralisada por ondas de turistas interessados em aproveitar (e tirar fotografias) à beleza natural e tranquilidade da povoação rodeada por mais de 70 cascatas.

Com o aumento do número de visitantes, chegaram também as reclamações dos moradores, que estão cansados do trânsito, das estradas cobertas de lixo, dos parques de estacionamento e transportes públicos cheios, bem como as rendas mais elevadas. A solução passa por criar uma taxa semelhante à de Veneza, cobrada aos turistas que optam por visitas diárias, sem pernoita.

“A exceção seria para os hóspedes que reservarem um hotel ou uma excursão, ou que chegam de transportes públicos”, explicou o presidente da comuna, Karl Näpflin, citado pelo “Daily Mail”. A taxa proposta é equivalente a 5€ e o pagamento deverá feito através de uma aplicação.

Em abril, Veneza tornou-se a primeira cidade do mundo a introduzir um sistema de pagamento para turistas, com o objetivo de diminuir as multidões que invadem os canais durante a temporada alta. Este sistema de ingressos destina-se apenas a quem faça visitas durante o dia, ou seja, sem pernoitar. Os bilhetes estão disponíveis para compra online e são necessários em determinados dias de pico na primavera e no verão.

A entrada tem um custo de cinco euros e aplica-se apenas a turistas com mais de 14 anos, das 8h30 às 16 horas, em determinados períodos do ano. Quem não pagar está sujeito a uma multa que pode ir dos 50 aos 300€ — mais 10€ pela taxa de entrada.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT