Viagens

Houve filas, lágrimas, gritos e fãs a dormirem à porta na reabertura da Disneyland

Parque de diversões na Califórnia regressou depois de 13 meses encerrado devido à pandemia.
Fotografia da Disney

Quando a pandemia da Covid-19 obrigou, em março de 2020, a Disneyland a fechar as suas portas, ninguém soube lidar bem com isso. Até porque foi a primeira vez na história que este parque inaugurado em Anaheim em 1955 esteve mais do que um dia sem abrir. Agora, depois de o governador da Califórnia ter permitido a reabertura dos parques temáticos a partir de abril, o mais famoso jardim infantil do mundo recebeu novamente visitantes na última sexta-feira, 30 de abril.

Como se esperava, o momento foi emocionante e solene ao mesmo tempo, tanto para quem não quis perder a reabertura como para quem lá trabalha. Os responsáveis da Disney e os funcionários do parque alinharam-se para a cerimónia de hastear da bandeira logo pela manhã. No meio dos aplausos, houve várias pessoas a chorarem de emoção.

Cumprindo as regras impostas pela Califórnia, a Disneyland está a funcionar com apenas 25 por cento da sua capacidade, tal como acontece com o parque Disney California Adventure, ali ao lado na mesma cidade, cujo horário de funcionamento foi reduzido para entre as 9 horas e as 19 horas. As visitas só podem ser feitas por habitantes da Califórnia, têm de ser marcadas com antecedência, as habituais paradas e os espetáculos de fogo de artifício foram cancelados. Pior ainda: os abraços e cumprimentos ao Mickey e a outros personagens estão totalmente proibidos.

Para otimizar todas as questões de higiene e segurança, há várias estações de desinfeção das mãos espalhadas pelo parque, placas que relembram a necessidade de utilizar máscaras e manter a distância física e até os bancos estão assinalados como zonas onde é possível comer sem as habituais máscaras. Vários restaurantes mantiveram-se fechados e aqueles que estão a funcionar adotaram um sistema de pedidos através de uma app para manter o distanciamento social.

“Não somos apenas mais um lugar. Não somos apenas mais um parque temático. Somos algo especial e algo especial por causa de todos vocês, porque vocês trazem magia ao mundo”, disse aos funcionários o presidente, Bob Iger, citado pelo “Daily Mail”.

Do lado dos visitantes não há muitas diferenças, pelo que se acredita que rapidamente sejam atingidos os limites diários de pessoas em simultâneo. Houve quem comprasse bilhetes logo para a reabertura e até quem dormisse à porta para ser dos primeiros a entrar neste dia histórico.

“Definitivamente, estamos ansiosos pelas atrações, mas se a Disneyland dissesse ‘todas as atrações estão fechadas, só podem passear’, ainda assim teríamos comprado os bilhetes”, explicou Zach Bolger, de 35 anos, que costumava visitar o local duas a três vezes por semana com a namorada antes da pandemia.

Os últimos meses foram difíceis para o estado da Califórnia, que há apenas quatro meses lutava contra um forte surto de Covid-19 que obrigou à instalação de doentes em tendas e causou centenas de mortes por dia. Depois de 13 meses fechado, espera-se que a reabertura da Disneyland seja um sinal de retoma do turismo e de algo de normalidade tanto para aquela região dos EUA como para o resto do mundo.

Carregue na galeria para ver as imagens da reabertura do parque.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT