Viagens

A ilha secreta que é o destino perfeito para uma escapadinha de verão

Giglio é um dos tesouros da Toscana que só se alcança de barco. Esconde paisagens incríveis e boa comida.
Uma das praias de água cristalina

Está a uns meros 14 quilómetros da costa da Toscana e não ultrapassa os 23 quilómetros quadrados de área. É, apesar de pequena, um dos melhores tesouros da região italiana que ainda mantém a sua rusticidade natural.

Ficou famosa em 2012, quando a sua costa foi palco do desastre do Costa Concordia, o cruzeiro que ali encalhou e afundou. Desastres à parte, a vida é quase sempre pacata na ilha italiana que é descrita como um paraíso exótico.

Não é por acaso que mais de 90 por cento da sua superfície esta coberta com a habitual floresta mediterrânica. É, portanto, um destino perfeito para quem gosta de carregar sempre consigo um par de sapatilhas para ir à descoberta de novos trilhos.

É uma ilha maioritariamente montanhosa, o que faz dela um cenário perfeito para fotografias incríveis — mas isso não lhe retira a beleza das praias de areal dourado. No centro turístico está o porto de Giglio, recheado de edifícios coloridos, que rodeiam as águas transparentes.

É ali que se concentram a maioria das lojas, dos negócios, dos táxis-barco e onde, claro, atracam os ferrys vindos da costa.

No coração da ilha, mais acessível de carro — mas que permite um percurso de perto de hora e meia a pé, para os mais aventureiros —, está o castelo de Giglio, uma povoação medieval com um castelo do século XI, rodeado de uma fortificação. É o sítio ideal para conhecer as pequenas ruelas e, sobretudo, as adegas que produzem o vinho local, o Ansonaco.

Do lado ocidental da ilha esconde-se a maior praia da ilha, em Giglio Campese, cujo postal é adornado pela enorme torre construída no século XVII e que hoje é um alojamento local para receber turistas. Pode limitar-se a estender-se na areia, mas esta praia é também perfeita para fazer surf e vela. Nota: não perca o por do sol.

Giglio é a segunda maior ilha do arquipélago da Toscana, encostada pela mais famosa Elba. Tem pouco mais de mil habitantes. É, também por isso, um destino pouco turístico, sem as grandes armadilhas comerciais de outras regiões.

Na verdade, é tão pequena que há quem se aventure a fazer trilhos que percorrem todo o território de Giglio, embora a elevação brusca possa ser um problema para os menos resistentes. Para quem prefere as águas, é possível alugar motas de água e pequenos barcos para navegar em torno da costa.

Que mais? A comida. Além do vinho local, destacam-se os pratos de peixe e marisco, especialmente a tonnina, um prato de atum, e o panificato, um rico pão de figo. Uma aventura dentro da aventura que é Giglio.

Como chegar lá
A rota mais curta para viajar até Giglio passa por voar até Roma. Partindo de Lisboa, em setembro, há voos diretos a partir de 356€ — se partir do Porto, os valores começam nos 127€, mas com pelo menos uma escala.

De Roma, terá que viajar até Orbetello, a cerca de uma hora e meia de comboio, que depois obriga a uma viagem curta de autocarro até ao Porto de S. Stefano. Pode, contudo, optar por fazer a viagem de carro diretamente até ao porto.

É dali que partem os ferrys até à ilha, num percurso que é feito três vezes ao dia, com uma duração de viagem de uma hora. O custo do transporte de Roma até Giglio pode custar entre 40 a 60 euros por pessoa.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT