Viagens

Piso do Coliseu de Roma vai ser reconstruído para passar a receber concertos e teatro

O mesmo palco onde aconteceram as icónicas batalhas de gladiadores vai agora servir outro tipo de cultura.
Construído há dois mil anos

O Coliseu de Roma, originalmente chamado de Anfiteatro Flaviano, foi contruído há dois mil anos e encontra-se atualmente fechado, mas ao que parece, as autoridades italianas estão a preparar um investimento de 18,5 milhões de euros para a reconstrução do palco central a começar já em 2021, segundo noticiou a BBC.

O projeto vai permitir que todos os seus visitantes possam assistir a concertos e teatro ao vivo, no espaço onde aconteceram as icónicas batalhas de gladiadores e festas que duravam entre 100 a 123 dias seguidos, pelos imperadores Tito e Trajano em 80 d.C. 

Neste momento, o governo italiano está à procura de engenheiros que abracem o projeto e apresentem propostas até 1 de fevereiro de 2021, para a construção de um piso retrátil com alçapões e elevadores ocultos, que esperam concluir em 2023.

“Será uma grande intervenção tecnológica que irá oferecer a todos os visitantes a oportunidade não só de verem as salas subterrâneas, como também de apreciarem a beleza do Coliseu ao estarem no centro da arena”, disse o ministro da Cultura italiano, Dario Franceschini, em comunicado à BBC.

Catálogo da Detroit Publishing Company (1905)

O Coliseu era o maior anfiteatro do Império Romano, que com a sua queda acabou por ficar em ruínas. O chão praticamente não existe, e a ideia será redesenhare-lo e “permitir que o público compreenda totalmente a sua função e significado, deste ícone do mundo antigo”, acrescentou o ministro.

O piso retrátil fechará durante o mau tempo, e assim criar espaço para entretenimento público ao vivo, segundo a diretora do Coliseu, Alfonsina Russo. “A arena será usada para alta cultura, ou seja, concertos ou teatro” refere ao jornal “The Times“.

É uma das principais atrações turísticas de Itália, que registou cerca de 7,6 milhões de visitantes em 2019. Mas este ano o cenário foi outro, em março Itália encontrava-se a “fechar” para conter a disseminação do vírus Covid-19, e o coliseu também encerrou. Reabriu em junho, e fechou novamente em novembro, quando surgiu uma nova onda de contágios na Europa. 

Porém, este não é o único projeto de recuperação da Roma antiga que se encontra em andamento, o Mausoléu de Augusto que ao contrário do Coliseu de Roma, esteve abandonado durante séculos, vai começar a ser reconstruído em março de 2021 e, ganhar de volta a sua antiga glória e memória histórica ao alcance de todos. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT