Viagens

Mendoza: uma das melhores regiões da Argentina tem mais de 100 vinícolas — e é barata

Uma noite num hotel não custa mais de 50€. Além disso, fica perto de uma montanha onde poderá praticar vários desportos na neve.
Merece uma visita.

Para muitos, um bom plano de férias inclui paisagens fantásticas, dias solarengos e quentes e um bom copo de vinho a acompanhar. E se lhe dissermos que existe um país que oferece tudo isto, onde as tais paisagens incluem vinhas que se estendem por quilómetros? Certamente que ficaria entusiasmado, e com razão. Pode começar já a planear a sua viagem à Argentina.

Segundo um novo ranking da Civitatis, uma empresa de visitas guiadas, este território da América do Sul é um dos mais económicos em 2022, devido à desvalorização do peso (a moeda argentina). Atualmente, uma noite num hotel em Buenos Aires custa cerca de 32€. 

Embora a capital tenha os seus atrativos, porque não privilegiar os locais mais remotos e os destinos menos conhecidos? A verdade é que opções não faltam. “A Argentina é um país muito grande e com realidades/atrações turísticas muito diferentes entre si”, conta-nos Gonçalo Cadilhe, considerado por muitos como o primeiro viajante profissional português.

Entre os vários tesouros turísticos destaca Mendoza, uma cidade conhecida pela sua vinicultura e paisagens idílicas. Situada a leste dos Andes, tem um clima diferente daquele a que estamos habituados. O verão é quente, e as temperaturas podem chegar aos 25 graus. Já o inverno é frio, com uma temperatura média abaixo dos dez graus. Tudo normal até agora. O que pode causar mais estranheza é o facto de o verão ser a época mais chuvosa do ano, enquanto que o inverno é seco. “O clima nos Andes é exigente e as condições climatéricas podem condicionar as deslocações, cancelar voos, atrasar ferries, cortar estradas, etc. Informe-se relativamente ao clima que poderá encontrar, de acordo com a altura do ano em que irá viajar”, acrescenta o também escritor, que falou com a NiT a partir de Katmandu, no Nepal.

Algo que não faltará durante a sua passagem por esta cidade é vinho, sempre acompanhado por uma boa dose de carne. Existem mais de 100 empresas vinícolas para descobrir, sendo os vinhos produzidos com a casta Malbec uma especialidade da região. Quando estiver a organizar o roteiro, não se esqueça de passar pelas adegas de Catena Zapata, um dos produtores de vinho mais famosos da região. Lá, são produzidos vinhos com as castas Malbec, Cabernet Sauvignon e Chardonnay.

Mendoza não é, no entanto, um destino com uma única atração. Além dos passeios pelas vinhas, poderá praticar desportos na neve ou subir à montanha Aconcágua, uma das maiores do mundo com os seus 6.961 metros de altitude. Vai precisar de acordar cedo: a montanha fica a aproximadamente três horas da cidade. Porém, as paisagens que encontrará pelo caminho serão um boa recompensa pelo esforço.

Também existem opções para quem prefere manter os pés a uma altura menos vertiginosa. No Parque General San Martín vai poder desfrutar de mais de 300 hectares repletos de uma vasta fauna e flora e com vários trilhos. Dentro da vasta propriedade existem também um jardim zoológico e um botânico.

Gonçalo Cadilhe deixa alguns avisos a quem pretenda visitar este país da América do Sul. “A Argentina não é tão barata como pode ser o Nepal ou a Bolívia, no sentido que estes países são baratos porque são pobres. A Argentina não é pobre nem subdesenvolvida e se começar a ver muitas coisas que gostaria de comprar, fazer e experimentar, se não tiver cuidado, às tantas gasta mais dinheiro nesta viagem do que numa estadia em Nova Iorque.” Além disso, tenha atenção aos carteiristas “e outras burlas menores”. “Dito isto, é um país tranquilo e seguro”, conclui o viajante.

Onde ficar

Tal como em Buenos Aires, também em Mendoza encontramos várias unidades hoteleiras a preços bastante acessíveis. O Hotel Internacional tem três estrelas e oferece tudo aquilo que precisa: uma localização a 200 metros da praça principal da cidade, piscina exterior, pequeno-almoço em regime de buffet e jantares à carta no restaurante do alojamento. Os quartos são bastante luminosos, têm televisão com canais por cabo, minibar e casa de banho privativa. Uma noite para dois adultos custa desde 46€.

Como chegar a Mendoza

Infelizmente, não será possível economizar tanto voo como durante a sua estadia. Uma viagem de Lisboa para o aeroporto de Mendoza custa desde 846€.

Quando desembarcar, pode apanhar um autocarro que o levarão ao destino, após uma curta viagem de aproximadamente 20 minutos (o aeroporto fica a dez quilómetros da cidade).

Carregue na galeria para ficar a conhecer melhor esta região da Argentina.

 

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT