Viagens

Neom. Tudo o que já sabemos sobre a megalómana cidade do futuro na Arábia Saudita

É um dos projetos mais ambiciosos do mundo. Será trinta vezes maior que Nova Iorque e vai custar, no mínimo, 460 mil milhões de euros.
É um dos maiores projetos do mundo.

A Arábia Saudita abriu oficialmente as portas aos turistas internacionais em 2019. Daí em diante, tem feito todos os esforços para atrair cada vez mais visitantes. Prova disso são os investimentos milionários que têm sido feitos nos últimos anos. Um dos projetos mais ambiciosos é a Neom, uma cidade futurista que vai nascer entre a areia do deserto e a água salgada do Mar Vermelho.

A obra megalómana será 30 vezes maior do que Nova Iorque — não é brincadeira nenhuma. O complexo, anunciado em 2017, vai representar um investimento de cerca de 460 mil milhões de euros por parte do governo saudita.

Com o nome Neom — que combina a palavra grega “neos”, que significa novo, e “mustaqbal”, a palavra árabe para futuro — esta cidade pretende livrar-se da dependência do petróleo, sem carros, ruas ou emissões de carbono.

Táxis voadores, aulas recorrendo a professores holográficos, uma lua artificial para iluminar as noites, praias com areia que brilha no escuro, uma espécie de parque jurássica com dinossauros robóticos e hotéis que nem parecem deste mundo são apenas alguns dos planos para o Neom.

As novidades têm sido reveladas aos poucos, cada uma melhor e mais incrível do que a outra. Uma das primeiras etapas a ser anunciada foi o The Line, uma das regiões que já começou a ser construída.

A cidade vertical The Line

Para o príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, “este vai ser o melhor sítio para viver de longe, em todo o planeta”. O The Line será a maior estrutura do mundo, um projeto que consiste na construção de uma gigantesca cidade vertical, que se estende por 170 quilómetros.

“Uma obra-prima arquitetónica espelhada que se eleva a 500 metros acima do nível do mar, mas com 200 metros de largura que economia terreno. O The Line redefine o conceito de desenvolvimento urbano e como serão as cidades do futuro”, lê-se no site da Neom.

Sem estradas, carros ou emissões, funcionará com energia 100 por cento renovável e 95 por cento da terra será preservada para a natureza. Poderá acolher nove milhões de pessoas e será construída numa área de 34 quilómetros quadrados, algo inédito em comparação com outras cidades de capacidade semelhante.

O The Line vai funcionar como uma espécie de arranha-céu vertical, revestido por vidros espelhado. Por baixo, irá passar um comboio de alta velocidade que deverá levar 20 minutos a percorrer toda aquela zona da cidade.

Estância de esqui na Trojena

A região de Trojena vai nascer no meio das montanhas e irá cobrir uma área de quase 60 quilómetros quadrados. “Será um destino icónico de classe mundial, combinando paisagens naturais e desenvolvidas e oferecendo experiências únicas centradas no ser humano para residentes e visitantes”, descrevem.

Com temperaturas negativas nos meses mais frios, foi o local escolhido para a abertura de uma estância de esqui no meio do deserto.Com uma mistura de arquitetura real e virtual, terá 36 quilómetros de pistas onde será possível esquiar três meses por ano. Nos restantes, a oferta passa pelos desportos aquáticos e BTT.

Apesar de ser uma estância de esqui, será um destino para todas as estações. Quando não estiver frio, será possível visitar o lago artificial e aproveitar a paisagem. A ideia é criar uma espécie de vila de montanha, com restaurantes, luxuosos centros de bem-estar e até hotéis.

A metrópole industrial flutante Sindalah

A luxuosa ilha de Sindalah será “um destino insular incomparável” e uma porta de entrada exclusiva para o deslumbrante Mar Vermelho. Ali será construído um resort com clube de praia, iate, spa, centro de bem-estar, assim como 51 lojas de luxo.

Com uma prestigiosa marina de 86 lugares para iates de luxo, o destino oferecerá 413 quartos de hotel ultra-premium, bem como uma gama de apartamentos com serviços de alta qualidade. Será uma das primeiras a abrir ao público, com inaugurado prevista já para 2024.

Oxagon, a cidade em forma de octógono

Será o maior complexo industrial flutuante do mundo e pretende redefinir o conceito de “tradicional cidade industrial”. Espera-se que a enorme cidade portuária se torne um centro de tecnologias avançadas, ao mesmo tempo que oferece habitações para quase 100 mil pessoas.

Quando anunciou o projeto, o príncipe da Arábia Saudita sublinhou que “vai mudar a abordagem mundial ao desenvolvimento industrial no futuro” e criar empregos ao mesmo tempo que protege o ambiente.

O projeto no Golfo de Aqaba 

A cidade futurista da Arábia Saudita revelou que o megaprojeto que está a nascer no Golfo de Aqaba vai abranger nove zonas distintas: Aquellum; Elanan; Epicon; Leyja; Siranna; Utamo, Xaynor, Norlana e Zardun. Embora diferentes entre si, todos eles combinam luxo e inovação.

O Aquellum, por exemplo, será uma comunidade subterrânea, que será invisível a partir do exterior. Já no interior, abrigará hotéis, apartamentos, espaços comerciais, zonas de lazer e entretenimento e centros inovadores. Um dos destaques é o The Generator, uma obra-prima arquitetónica que terá laboratórios de investigação exclusivos.

A zona da Elanan será cercada por montanhas de um lado e pelo mar do outro. O projeto vai contar com 80 quartos e suites meticulosamente projetados, restaurantes especializados, piscinas infinita e vários trilhos pela natureza. É descrito como um retiro de bem-estar único na natureza.

Já a Epicon, também localizada no Golfo de Aqaba, ao lado do Mar Vermelho, vai estabelecer um novo padrão de arquitetura, turismo e luxo. Será composto por duas torres principais, uma de 225 metros de altura e outra ainda maior, com 275.

No interior das estruturas, será construído um hotel ultra-exclusivo com 41 quartos e 14 residências ficas. A uma curta distância a pé, haverá um segundo complexo com 120 quartos e 45 moradias na praia. O Neom descreve-o como “um santuário cintilante que se destaca elegantemente da planície costeira no limite norte”. As comodidades incluem ainda um centro de fitness, biblioteca, espaços de trabalho, piscinas e lounges.

Outro destino turístico sustentável será a Leyja. Visando conservar ao máximo território como reserva natural, utilizará técnicas de construção e design ecológicas e inovadoras para não destruir a paisagem. Aqui, serão construídos três hotéis diferenciadores, cada um com 40 quartos e suites.

O primeiro empreendimento, destinado a aventureiros e desportivos, será erguido a partir das paredes do vale, com a mínima alteração do terreno. O segundo será construído na rocha da montanha e irá oferecer vistas incríveis da zona. Já a terceira unidade hoteleira será dedicada ao bem-estar.

Segue-se Siranna, um “destino chique” que evoca uma sensação de romance e oferece isolamento tranquilo. Com pilares hexagonais em homenagem ao património local, abrigará 100 quartos e apartamentos de hotel, um clube de praia, restaurantes, lojas e spa.

O Utamo será outro dos destaques do Golfo de Aqaba e promete redefinir a paisagem da arte e do entretenimento. Com uma entrada de 64 metros de altura revestida com blocos de pedra, será um espaço multifuncional para apresentações, teatros e todo o tipo de eventos.

O Zardun será “um santuário pensado para unir visitantes, natureza e vida selvagem em perfeita harmonia”. Um refúgio cuidadosamente restaurado que vai acolher três boutique hotéis diferentes, cada um com um tema distinto. Além disso, será o destino ideal para atividades como trekking, escalada e observação de estrelas.

O Xaynor, uma das mais recentes adições, será um clube de membros privado à beira-mar, aninhado entre as paisagens rochosas. “Posicionado como o epítome do luxo ultra-chique de um resort de praia, dedica-se a criar momentos inesquecíveis que redefinem a exclusividade de um ambiente natural”, lê-se no site.

Norlana, “um lugar de vanguarda centrado no bem-estar e em instalações desportivas de classe mundial”, foi um dos destinos anunciados recentemente.

Carregue na galeria para ver as primeiras imagens de cada um destes projetos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT