Viagens

O incrível templo tailandês que parece fazer parte do cenário de um filme de fantasia

O Wat Samphran saiu dos roteiros turísticos após o fundador ter sido acusado de abusar sexualmente de seis raparigas.
É arrepiante.

Os dragões são criaturas míticas que protagonizam muitas histórias de animação e fantasia. “Dragon Ball”, “Hobbit”, “Mulan” e “Game of Thrones” são apenas alguns dos exemplos. Nunca os encontraremos na vida real, porque nasceram da prodigiosa imaginação humana. No entanto, existe um edifício na Tailândia, numa localidade a cerca de 40 minutos de Banguecoque, que retrata este animal mitológico enquanto se envolve numa torre com 80 metros de altura e 17 andares. Esta descrição poderia ser a de uma das principais atrações do país asiático, mas essa não é a realidade.

Assim que chega ao Wat Samphran pode ver de perto as garras do enorme dragão, onde está afixada uma placa com uma prece budista. As freiras e os monges que lá passam o dia esperam que os turistas a recitem, embora tal não seja fácil porque está escrita em tailandês. Ao entrar no edifício cor de rosa pode ver um caixão com fotografias de um monge que aparenta estar morto. O seu nome era Phra Jam Long, e foi o abade responsável pela construção do templo.

Não se sabe exatamente quando começou a ser erigido, mas a sua inauguração oficial aconteceu em setembro de 1985. Uma das histórias relacionadas com Long relata que passou 38 dias no caixão sem respirar, antes de voltar a fazê-lo novamente. Uma construção tão única quanto esta devia ser a maior aposta turística do governo tailandês, mas o que lá se passou fez com que deixasse de aparecer nos roteiros e que se fosse degradando com o passar do tempo. Phra Jam Long foi o protagonista de um dos maiores escândalos no meio budista na Tailândia.

Quanto estava no pico da sua popularidade, foi acusado de abusar sexualmente de seis raparigas que viviam em Wat Samphran para melhorarem o seu nível académico e educação. O homem foi condenado a 160 anos na prisão e várias freiras também foram alvo de penas por o terem ajudado a encobrir os crimes.

Em maio de 2021 o infame abade saiu em liberdade e rumou diretamente ao templo, onde rezou e meditou. Agora que Long saiu da prisão a popularidade do arrepiante edifício pode aumentar, embora isso seja pouco provável — afinal, poucos conseguem apagar a memória coletiva de um escândalo sexual como aquele.

O Wat Samphran apenas está aberto aos fins de semana, dias em que as freiras abrem as portas aos turistas, enquanto que os monges meditam no interior. Tal como dizem as regras de etiqueta tailandesas, deve descalçar os sapatos antes de entrar no espaço. A visita é gratuita, mas as freiras levam-no a uma espécie de mealheiro colocado ao lado de uma estátua de Buda para que faça uma doação.

Depois, terá de subir pelo túnel que é também o corpo do dragão. É cansativo, mas o esforço será recompensado. No topo terá vistas únicas sobre a vegetação luxuriante que rodeia o imponente edifício e poderá pedir um desejo enquanto toca no queixo da figura mítica. Além deste edifício, o complexo inclui outros locais que merecem uma visita, como um outro templo onde se encontra um estátua gigante de Buda.

Como lá chegar

Para ir conhecer este monumento precisa de apanhar um avião para Banguecoque. Caso embarque em Lisboa, encontra viagens de ida e volta em agosto desde 1.340€. Se partir do Porto, tem voos a partir do mesmo valor.

Quando chegar à cidade, o mais fácil é pedir um táxi, porque nenhum meio de transporte o deixará perto do templo. Uma viagem custa entre 8€ e 12€. Carregue na galeria e fique a conhecer melhor este misterioso edifício tailandês.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT