Viagens

O intrigante lago que parece flutuar sobre o oceano graças a uma ilusão de ótica

Quando visto de longe e de um determinado ângulo, dá a ideia de que está a centenas de metros acima do Atlântico.
É tudo ilusão de ótica.

O nome não é propriamente fácil de pronunciar, mas não há dúvidas de que merece estar na lista de locais a visitar, pelo menos uma vez na vida. Afinal, não são todos os dias que temos oportunidade de ver um lago suspenso sobre o oceano — mesmo que não passe de uma ilusão de ótica. 

O intrigante spot está localizado em Vagar, uma das Ilhas Faroé, situada entre a Escócia e a Islândia, mas que faz parte do território da Dinamarca. Chama-se Sørvágsvatn e é o maior do arquipélago.

Com mais de três quilómetros quadrados e quase seis de extensão, é conhecido por ser o “lago sobre o oceano”. Tudo porque, quando é visto de longe e de um determinado ângulo, parece flutuar centenas de metros acima do Atlântico, criando uma paisagem espetacular e misteriosa. 

De facto, está realmente acima do nível do mar, mas não tanto como as fotografias tiradas a maior altitude fazem parecer. O spot que tem feito sucesso nas redes sociais está apenas a cerca de 30 metros, e tem uma profundidade entre 2,5 e 59 metros (na parte mais profunda).

Uma particularidade é, também, a sua ligação direta com o Atlântico. Apesar da sua aparência calma e isolado, o lago desagua diretamente no oceano através da impressionante cascata de Bøsdalafossur, com 30 metros de altura. O fenómeno cria um espetáculo incrível que acaba por contrastar com toda a serenidade da paisagem envolvente.

A partir de certas perspetivas, parece mesmo inclinar-se sobre o mar.São as mudanças de elevação das encostas íngremes que circundam o lago que dão ao Sørvágsvatn a ideia de que está a flutuar (ou até mesmo a cair) para o oceano.

O que poucos sabem é que, entre os moradores da região, há um debate bem aceso em relação ao nome do local. Por um lado, os habitantes de Sørvágur orgulham-se do destino paradisíaco ter recebido o nome da sua aldeia. Já do lado oposto, quem mora em Miðvágur defende que deveria ser chamado de Leitisvatn, por estar próximo de uma localidade chamada Leiti. Como nunca chegaram a um acordo definitivo, a maioria dos moradores refere-se apenas ao local como Vatni, que significa, literalmente, “o lago”.

Desde a estrada principal até ao ponto que permite uma boa vista é preciso caminhar cerca de três quilómetros. O percurso é relativamente fácil, sem grandes subidas íngremes, e demora cerca de 1h30.

A ilha de Vagar desempenhou um papel importante durante a ocupação britânica das Ilhas Faroé na Segunda Guerra Mundial, tanto que foi construído um campo de aviação (a oeste do lago) para se conseguirem defender dos potenciais navios de guerra alemães.

A região é conhecida pelas vistas incríveis e formações rochosas peculiares. Uma das atrações mais fascinantes da ilha (e até do mundo) é o encantador arco marítimo de Drangarnir. Esta obra da natureza é conhecida como a “pedra furada”, devido às duas torres de rocha que emergem do oceano e formam um arco no meio. Assim como o lago, tornou-se um dos símbolos das paisagens intocadas e da natureza selvagem das Ilhas Faroé.

Como lá chegar

Assim como muitos outros spots instagramáveis, chegar ao lago vai exigir muito mais do que apenas um veículo. Primeiro, terá de voar até à ilha de Vágar. Se partir de Lisboa, encontra bilhetes de ida e volta desde 359€. Depois, para chegar ao lago, terá de fazer uma caminhada de cerca de 1h30. 

Carregue na galeria para ver algumas das fotografias que têm sido partilhadas nas redes sociais.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT