Viagens

O maior iceberg do mundo separou-se e pode destruir um santuário de pinguins

Existe uma probabilidade de 50 por cento do bloco de o gelo colidir com a ilha Geórgia do Sul e ameaçar o seu ecossistema.
Poderá ser problemático.

O maior iceberg do mundo separou-se e está, neste momento, em direção à ilha Geórgia do Sul, no Atlântico. Este é um processo natural dos icebergs, porém, tem sido fortemente acelerado nos últimos anos por causa do aquecimento global.

A comunidade científica alertou para uma possível tragédia provocada pela trajetória do bloco de gelo gigante. A ilha para a qual o iceberg A68a se dirige é um verdadeiro santuário de pinguins e focas. De acordo com a “Aljazeera”, este trajeto deverá demorar entre 20 a 30 dias a ser percorrido.

“Colocamos a probabilidade de uma colisão em 50 por cento”, afirma Andrew Fleming, da associação British Antarctic Survey, citado pela mesma publicação.

Se o iceberg se aproximar demasiado da ilha, poderá bloquear trajetórias utilizadas pelos animais da região para se alimentarem. Além disso, o A68a acabaria com vários organismos do ecossistema que poderiam demorar décadas, ou mesmo séculos, a reestruturar-se.

Os icebergs guardam ainda demasiado carbono e poeiras que, ao derreterem, são largadas. Por outro lado, são também reservatórios de nutrientes, que podem fertilizar os oceanos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT