Viagens

O novo miradouro de vidro em São Paulo que se tornou um fenómeno mundial em dias

O Sampa Sky fica no prédio mais alto da cidade e tem uma vista de 360º suspensa. As imagens invadiram as redes sociais.
Imagem partilhada no Instagram.

Se pesquisar “Sampa Sky” no Instagram vai ficar espantado: surgem-lhe quase quatro mil partilhas com este hashtag. Parece muito mas ainda é mais impressionante se souber que este verdadeiro fenómeno está a funcionar há apenas dez dias. Inspirado no famoso Sky Deck de Chicago, o novo miradouro de São Paulo, no Brasil, abriu a 8 de agosto e foi um sucesso imediato. Há filas à porta, mesmo em pandemia, surge nas notícias em todo o mundo e causou uma verdadeira caça às fotos e vídeos, que se tornam normalmente virais.

E o que é o Sampa Sky? Segundo os meios brasileiros, fica no 42.º andar do Mirante do Vale, o prédio mais alto de São Paulo, bem no centro da cidade, com 170 metros de altura.

De acordo com o jornal “Estadão”, a sua vista de 360.° impressiona logo ao entrar no espaço: são 700 metros quadrados, num imponente edifício da cidade considerada o centro financeiro do Brasil. Ali, os visitantes ficam a 150 metros de altura e, com a ajuda dos vidros, conseguem observar toda a cidade em seu redor, até perder de vista.

Há, tal como em Chicago, cabines de vidro a estenderem-se para fora do edifício, permitindo olhar para baixo e até deitar-se no chão, como muitos dos visitantes têm aliás feito.

Para visitar o espaço tem de pagar apenas 30 reais, um valor promocional de abertura até outubro, que se converte em cerca de 4,5€. Os miúdos até oito anos não pagam. No entanto, quem vive em São Paulo pode ter de esperar, devido ao sucesso imediato do novo miradouro.

Isto porque além da expressão nas redes sociais, esta quarta-feira 18 de agosto o jornal “Metrópoles” conta como, em apenas dez dias, o Sampa Sky se tornou um dos símbolos do regresso das atividades turísticas na cidade paulista.

O jornal adianta que os bilhetes já estão esgotados até outubro para os dias da semana, e até dezembro para quem prefere ir ao fim de semana. Mesmo quem conseguiu bilhete não se livra de esperar, havendo relatos de filas de até seis horas.

A situação chegou ao ponto de a administração do local ter de intervir e mudar de política, atribuindo aos visitantes uma senha em QR Code para que possam esperar no café do edifício ou no espaço de janelas, enquanto esperam sobretudo pela parte suspensa. 

De seguida, carregue na galeria para ver algumas das partilhas mais recentes no Instagram e entender a dimensão (e vistas) deste novo espaço.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT