Viagens

O paraíso na Terra “que lembra um conto de fadas” fica em Portugal

A CNN internacional destacou o arquipélago dos Açores como um destino de sonho que fica a poucas horas de Boston e do Reino Unido.
Uma das paisagens míticas.

“Viajar para o paraíso não requer muitas horas”. É assim que começa o artigo em que os Açores são descritos em milhares de caracteres expressivos, entusiastas e encantados. E são todos dedicados não apenas a uma ilha, mas a todo o arquipélago. A CNN Internacional apelidou esta região insular como “uma paisagem intocada, que lembra um conto de fadas”, lembrando ainda que nas ilhas portuguesas “prevalecem a qualidade de vida perdida no tempo”.

Num artigo publicado este sábado, 27 de maio, e traduzido pela CNN Portugal, a jornalista Jeanine Barone descreve a região insular como “uma terra onde as quedas de água descem em cascata por iridescentes encostas verdes; onde as estradas são cercadas por sebes de hortênsias; e onde costas escarpadas são cobertas por praias de areia preta”.

E continua: “Bem-vindo aos Açores, um colar de nove ilhas encantadoras”. Segundo a repórter, há mais: “As piscinas termais, caldeiras exuberantes, lagos de crateras e gêiseres fumegantes são testemunhos das violentas forças vulcânicas que as originaram, mas cada ilha tem um caráter distinto, onde a natureza no seu estado mais selvagem prevalece”.

A jornalista descreve depois cada ilha do arquipélago português. Começou pelas Flores, onde destacou a beleza dos cursos de água: “Há sete lagos de crateras salpicando o seu interior ondulado, incluindo a Lagoa Negra verde-floresta que fica bem ao lado da Lagoa Comprida azul-cobalto, com um miradouro perfeitamente posicionado entre elas”.

À ilha mais pequena, o Corvo referiu-se como “um paraíso renomado para observadores de pássaros”. Ao passo que no Faial foram as Hortênsias que a conquistaram: “Globos do tamanho de bolas de futebol de hortênsias azul-celeste fazem fronteira com estradas e casas emolduradas ao longo da rota para o extremo oeste da ilha”.

O Pico — o ponto mais alto de Portugal — é descrito pela qualidade do vinho. “É o solo vulcânico fértil e rico em minerais que colocou o Pico na lista de todos os verdadeiros enófilos”, explica. Enquanto que a ilha de São Jorge, “o paraíso dos surfistas”, como indica a jornalista, é mais conhecido “por uma iguaria culinária: o queijo de leite de vaca picante”.

Santa Maria conquistou a jornalista não só pelo bom tempo, mas por ser “a única agraciada com praias de areia dourada”. Já a Graciosa vence pela “aprendizagem dramática” que se consegue ter sobre a história da terra. Ao passo que a Terceira parece “uma paleta de lápis de cor Crayola”, diz. “Fachadas coloridas nas ruas da capital, Angra do Heroísmo, e capelas pintadas de forma chocante — mesmo em tons de violeta — salpicam a paisagem verdejante”.

À maior ilha do arquipélago, São Miguel, não poupou elogios: “Uma das paisagens mais aclamadas da ilha é o Vale das Furnas, uma cratera adormecida coberta de folhagem e pontilhada de lembranças do seu passado vulcânico, incluindo convidativas fontes termais. Dentro deste vale, o centenário Jardim Terra Nostra é particularmente mágico. Caminhos sombreados serpenteiam ao lado de um canal sinuoso, grutas e plantas endêmicas e exóticas, algumas com mais de um século”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT