Viagens

O resort paradisíaco no oceano Índico onde pode dormir a 4 metros de profundidade

O Underwater Room é o espaço mais exclusivo do empreendimento The Manta, na Tanzânia. Os preços começam nos mil euros por noite.
Fica a 4 metros de profundidade.

Nadar com peixes exóticos pode ser uma experiência incrível, mas não se compara à possibilidade de dormir com eles (ou quase). A possibilidade de o fazer é apenas um dos muitos atrativos que o The Manta Resort, na Tanzânia, oferece aos hóspedes mais aventureiros — e fascinados pelo mundo subaquático.

O Underwater Room é apenas um dos quartos do empreendimento na ilha de Pemba, em Zanzibar, mas é, sem dúvida, o mais especial (e peculiar). O alojamento está a cerca de quatro metros de profundidade, perto de barreira de corais do oceano Índico. 

O resort descreve-o como uma “bolha azul-turquesa”. O espaço, inaugurado em 2013, possui janelas enormes, oferecendo assim aos hóspedes uma vista do mundo aquático colorido que existe lá fora.  

Acima da superfície, a sala submersa conta ainda com uma estrutura de três andares, ancorada a cerca de 250 metros da costa, onde estão instaladas outras suites e villas (em terra). O deck, ao nível do mar, possui uma área de estar e casa de banho privativa. O acesso ao piso superior é feito por uma escada, e inclui uma área de descanso onde os hóspedes se podem deitar sob a luz das estrelas, sem qualquer poluição luminosa.

O cenário torna-se ainda mais mágico quando descem até ao quarto, cercado por painéis de vidro que oferecem uma vista de quase 360 graus. Pode passar o dia a observar os cardumes que se aproximam da janela com curiosidade. 

À noite, é ainda mais especial. Os holofotes sob cada janela à volta do quarto atraem as espécies mais tímidas e incomuns, como as lulas ou até mesmo polvos. “É uma experiência verdadeiramente emocionante, mas despertadora”, lê-se no site do resort.

A ideia de criar estas salas subaquáticas que parecem aquários gigantes partiu de Mikael Genber. O artista já tinha instalado uma estrutura semelhante no lago Mälaren, na Suécia, a três metros de profundidade. Em 2006, abriu a empresa The Gengerb Underwater Hotels Company, que se dedica exclusivamente a inventar e conceber quartos debaixo de água um pouco por todo o mundo.

Genber diz ter encontrado o “ambiente perfeito” para as suas instalações ao largo da ilha de Pemba, graças às areias claras, água cristalina e um raro recife de corais, conhecido como Blue Hole. Assim, juntou-se ao The Manta Resort, que já dispunha de 16 quartos, para construir uma unidade diferenciada — e foi um sucesso imediato. Afinal, não é todos os dias que temos oportunidade de acordar e adormecer no fundo do mar.

Os hóspedes têm à disposição caiaques e pranchas de stand up paddle, bem como equipamentos de snorkeling e mergulho. Quanto às refeições, são levadas diretamente para a estrutura flutuante às horas que os clientes definiram no momento do check-in. Se quiserem ir até à área terrestre do hotel, podem sempre utilizar o caiaque ou pedir uma boleia na receção. 

Os preços da estadia onde poderá dormir rodeado de peixes exóticos começam nos mil euros por noite. As reservas podem ser feitas online.

Para aqueles que não adoram a ideia de adormecer a quatro metros da superfície, podem sempre optar por um dos outros alojamentos do resort, como a Seafront Family Villa (que pod acolher até seis pessoas), com piscina privativa, ou um Superior Garden Room, com jardim privado e chuveiro exterior.

A história do The Manta Resort remonta a 2007, quando um grupo de empreendedores com visões do mundo semelhantes se juntou para construir um projeto turístico. Mais do que abrir um resort, queriam salvaguardar o futuro da ilha de Pemba.

“Quando começámos a perguntar porque é que tínhamos vindo para Pemba, percebemos que estávamos aqui por determinadas razões; ainda é uma ilha verdadeiramente tropical, é remota, a cultura está intacta, o ambiente não ultrapassou o ponto de viragem e há verdadeira esperança e oportunidade para mantê-la num lugar genuinamente natural”, explicam no site.

Nos últimos anos, além de terem oferecido experiências inesquecíveis aos hóspedes, também concluíram vários projetos de apoio à comunidade e lançaram a Fundação Kwanini, dedicada a preservar a cultura de Pemba, os recifes de coral e a natureza.

Como lá chegar

Para chegar à ilha de Pemba, primeiro terá que voar até Zanzibar. Se partir de Lisboa, encontra bilhetes de ida e volta desde 600€. Depois, terá de apanhar um segundo voo, de Zanzibar até Pemba, que demora cerca de 20 minutos.

Carregue na galeria para ver mais imagens deste incrível quarto subaquático. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT