Viagens

Peru limita entradas em Machu Picchu (e enfurece os turistas e comerciantes)

A decisão do governo peruano visa proteger o local histórico, que tem vindo a sofrer com a sobrecarga de visitantes.
Pretende-se evitar o desgaste do património.

O Machu Picchu, também conhecida como “A Cidade Perdida dos Incas” é um ponto de visita obrigatória para todos os que visitam o Peru. No entanto, a grande afluência de turistas levou a que o Governo do país limitasse a venda de bilhetes — que custam quase 40 euros — para 5 mil visitantes por dia. A decisão foi tomada de com o objetivo a proteger o local histórico da pressão turística, mas nem todos concordam a iniciativa das autoridades peruanas.

Na sexta-feira, dia 12 de agosto, ocorreram vários protestos por parte não só dos viajantes, mas também dos comerciantes da zona. As manifestações de desagrado eclodiram ns região. É a segunda vez, no espaço de duas semanas, que estes dois grupos se revoltam contra a iniciativa.

A insatisfação expressada pelos locais deve-se ao facto de viverem deste turismo, sobretudo a população de Aguas Calientes, a aldeia mais próxima. De forma a mostrarem o seu descontentamento, alguns populares cortaram a linha férrea para impedir a circulação de comboios.

Muitos destes turistas, quando vêm que os bilhetes estão esgotados online, optam por tentar comprá-los presencialmente. Porém, é uma tentativa vã, o que acaba por enfurecer um grande número de pessoas que esperavam conhecer o monumento.

“Comprei os bilhetes para o Inca Rail (o comboio com destino a Aguas Calientes) que incluíam um dia com um guia turístico, paguei um extra pelo autocarro para subir até Machu Picchu e não me deixaram ir”, desabafa Yisrael Gonzalez Rizzo, um turista mexicano, à “AFP”.

Outro dos visitantes, que participou dos protestos, revela que pagou 65 dólares (aproximadamente 63 euros) pela viagem de comboio de outra localidade do Peru, a cerca de 150 quilómetros de Machu Pichu. Muitos foram os casos de quem optou por programas com visita guiada, com o mesmo insucesso.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT