Viagens

Popcorn Bay: a insólita praia nas Canárias onde o areal parece feito de pipocas

Fica na ilha de Fuerteventura e é um dos cenários mais incríveis do mundo. Trata-se de um fenómeno invulgar da natureza.
É uma praia única. Foto: @itaka_lietuva

áJá conhecíamos praias de areia branca, outras cheias de pedras que são tão desconfortáveis que quase não dá para andar descalço, mas um areal que se parece com pipocas é inédito. É em Fuerteventura, na segunda maior das ilhas Canárias, em Espanha, que se encontra um dos cenários mais curiosos junto ao mar. 

Localizada na cidade de Corraleja, esta baía, que é conhecida como Popcorn Bay (ou seja, “Baía das Pipocas”), está coberta por pequenos pedaços de coral branco que fazem lembrar as pipocas, os snacks favoritos quando vamos ao cinema. Mas atenção: apesar de serem salgadas — como o mar — não são comestíveis. Misturadas com a areia negra e rochas vulcânicas, o contraste de cores dá ainda mais destaque a esta “espécie” única de pipocas.

Esta areia em forma de pipoca é, na verdade, um fenómeno natural que nos prova novamente que a natureza é algo realmente incrível. São fósseis de corais vermelhos que foram trazidos à costa pelas águas e, ao misturarem-se com as cinzas vulcânicas, ficaram com a cor e aspeto das pipocas. Se olharmos bem de perto, é impossível não ver a semelhança com este alimento de poucas calorias.

A areia veio do fundo do oceano e foi arrastada pelas correntes, vento e ondas durante milhares de anos, uma prática que deu origem a estas pequenas pedras que se parecem com pipocas. Como é uma formação lenta e contínua, estas pedras continuam a ser depositadas nas costas da ilha e crescem cerca de um milímetro por ano.

Ao contrário do que acontece em praticamente todas as outras praias da ilha de Fuerteventura, com areia branca e fina, a Popcorn Bay pode não ser a mais confortável de todas — mas é sem dúvida a mais instagramável. Prova disso são as centenas (ou milhares) de partilhas que facilmente se encontram nas redes sociais, que acabaram por dar fama a esta praia insólita.

Embora possa parecer tentador guardar algumas destas “pipocas” na mala para levar como recordação, é totalmente proibido retirá-las do seu habitat natural. Apesar de encorajarem o turismo, as autoridades das Canárias pedem aos visitantes que respeitem o ecossistema local, tendo em conta que são retirados mais de 10 quilos de corais todos os meses.

Ao jornal “El País”, o biólogo Francisco Otero esclareceu que estas pequenas pedras absorvem gás carbónico enquanto estão na água e, por isso, ajudam também no combate às mudanças climáticas. 

Como chegar lá

Para chegar à Praia das Pipocas, primeiro terá que apanhar um avião até à ilha de Fuerteventura. Do aeroporto de Lisboa, encontra bilhetes de ida desde 67€. Se partir do Porto, os preços começam nos 61€.

Ao chegar ao aeroporto, o próximo passo é apanhar o autocarro que o leva até à cidade de Corralejo, no município de La Oliva. A viagem dura cerca de 1h15 e não custa mais do que 5€.

Se estiver com vontade de andar, pode ir a pé até à Praia del Bajo de La Burra (o nome oficial da praia), localizada a cerca de quatro quilômetros de distância de Corralejo, sendo possível percorrer em pouco mais de uma hora. Caso contrário, a melhor opção será mesmo ir de táxi.

De seguida, carregue na galeria para conhecer melhor esta praia cheia de “pipocas”.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT