Viagens

Responsáveis pela saúde no Brasil imploram: fechem as praias e os bares

Com as novas variantes, os casos continuam a subir e o país estará na "pior crise sanitária" desde o início da pandemia.
A Cidade Maravilhosa.

O Brasil vive aquele que é, provavelmente, o pior momento da pandemia, desde que ela chegou ao seu território há aproximadamente um ano. Mas isso não impede muitas pessoas de fazerem uma vida quase normal — em alguns casos, incentivadas pela ausência de medidas rigorosas. Por isso, com os casos a subirem, surge agora um apelo dos responsáveis pela saúde, em pleno verão naquele hemisfério: de que fechem as praias.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde pediu, numa carta aberta, que o Brasil adote de imediato ações mais rigorosas de combate à Covid-19, adianta o diário “O Povo“. O grupo sugere medidas como a criação de um recolher obrigatório, a suspensão de aulas presenciais e o fecho de praias e bares em todo o país, pedindo ainda um reforço da testagem e do rastreamento de contactos dos infetados.

O documento foi divulgado na segunda-feira, 1 março, numa altura em que o país regista números a ultrapassar os 50 mil casos de novos contágios por dia. Este é, frisam os signatários, o “pior momento da crise sanitária provocada pela Covid-19”. Os secretários de saúde apontam como um dos motivos para tal, a “ausência de uma condução nacional unificada e coerente”. O Brasil já registou mais de 10 milhões de infetados pelo SARS Cov-2 e mais de 257 mil pessoas morreram de causas associadas à doença.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT