Viagens

Ele transformou a casa numa obra de arte — o segredo só foi descoberto depois de morrer

O apartamento transformou-se num mundo de fantasia. Há lareiras em forma de leão e casas de banho imersas no mar.
Ningúem imagina o que está no interior.

Podia ser um museu, mas não é o caso. A antiga casa do artista Ron Gittins, que morreu em setembro de 2019, aos 79 anos, esconde no seu interior um verdadeiro mundo de fantasia, recheada obras de arte improváveis, entre murais a retratos. A antiga residência do artista em Birkenhead, na cidade de Merseyside, em Inglaterra, foi oficialmente protegida pelo governo britânico no início de abril e colocada na lista do Património Nacional.

Do lado de fora, o número 8 de Silverdale Road, agora conhecido como Ron’s Place, parece uma típica casa em estilo vitoriano. O interior conta uma história diferente — e ninguém imagina o que se esconde dentro das quatro paredes.

O segredo só foi revelado após a sua morte, quando a família visitou a propriedade onde Ron Gittins vivia desde meados da década de 1980, nos arredores de Liverpool. Assim que entraram pela porta, ficaram encantadas com o que encontraram. Descreveram-na como “um mundo de fantasia”.

Sem ninguém saber, o artista decorou praticamente todas as divisões da casa e pintou vários murais que retratam momentos históricos ao longo de 30 anos. Entre as obras de arte estavam, por exemplo, pinturas do Antigo Egipto e da era georgiana, bem como lareiras em forma de cabeça de leão, que parece estar a rugir e a cabeça de um minotauro gigante. Além de transformar o corredor num templo egípcio, com hieróglifos pintados à mão, instalou também um forno de pão romano.

A descoberta foi particularmente surpreendente porque Gittins, que tinha uma formação artística e era um artista independente, nunca recebeu muitos convidados. Apesar de ter orgulho no trabalho artístico, geralmente recusava a entrada de proprietários, pessoas de manutenção ou qualquer tipo de autoridade, apenas com o objetivo de proteger este mundo de fantasia que tinha criado para ele mesmo.

“O ambiente fantástico que Ron criou foi uma representação das suas paixões e obsessões ao longo da vida”, lê-se no site oficial do espaço, agora propriedade da Wirral Arts and Culture Community Land Trust. A inspiração do que se tornaria o Ron’s Place veio de uma visita que fez às ruínas de Pompeia nos tempos de juventude e que despertou a sua paixão pela história antiga. Tudo isto aliado ainda ao interesse pelo teatro, especificamente às peças de William Shakespeare.

“Ron sempre teve a sua visão particular e tendia a trabalhar fora dos parâmetros do mundo da arte oficial”, explicam. À “CNN”, a sobrinha do artista, Jan Williams, revelou que o tio era “extravagante” e “realmente estranho”. Era bastante comum vê-lo a passear pela cidade com uma fantasia, a colocar sacos de cimento num carrinho de compras.

Era uma persongem peculiar.

A família, contudo, raramente o via. “Tinha alguns problemas de saúde mental e passou por períodos de instabilidade. Acho que foi o seu trabalho artístico e criatividade que o fizeram continuar”, disse. Embora às vezes realizasse encomendas de retratos, estava mais preocupado em dar liberdade à sua imaginação, o que resultava na criação de ambientes visionários imersivos.

Cada divisão do apartamento está repleta de sacos, caixas, livros, materiais de arte, embalagens de alimentos, bem como anotações manuscritas, algumas delas em código. “A casa era uma verdadeira confusão e quase que nem conseguia passar pela porta”, refere.

Após a descoberta incrível, a sobrinha e o companheiro, Chris Teasdale, que são ambos artistas, decidiram avançar com uma campanha de crowdfunding para salvar a propriedade, iniciativa apoiada por amigos, familiares, artistas e outras pessoas que trabalham no mundo da cultura e do património. Juntos, criaram ainda o Wirral Arts and Culture Community Land Trust (WACCLT), que comprou o imóvel em 2022.

Agora, a propriedade recebeu a classificação de Grau II do departamento britânico de Cultura, Media e Desporto, a pedido do órgão de património nacional, Historic England. “Incluir o Ron’s Place na lista do Património Nacional de Inglaterra permite-nos destacar e celebrar o que é significativo neste lugar extraordinário e ajuda-nos a garantir que quaisquer alterações futuras não resultem na perda do seu significado”, disse uma porta-voz da Historic England.

A propriedade está atualmente em obras para preservar todo o seu interior, mas o objetivo é transformá-la num pequeno museu e criar uma “casa holística de arte e criatividade”. O espaço ficará assim disponível para outros artistas trabalharem, mas também há planos para desenvolver o jardim e a adega que fazem parte do imóvel. As obras, esperam, deverão demorar cerca de um ano. Até lá, pode sempre fazer uma tour virtual pelas várias divisões.

“É tudo muito comovente porque, quando estava a mexer nas coisas dele após a sua morte, encontrei um postal a dizer: ‘Realmente adorava mostrar-te tudo o que estou a fazer’, mas o endereço estava errado e nunca o recebo. Agora estou a tentar compensá-lo, de certa forma”, sublinhou a sobrinha.

Carregue na galeria para conhecer melhor este mundo de fantasia do artista Ron Gittins. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT