Viagens

Tem 99 anos e angariou milhões para combater a Covid-19 a andar no seu jardim

O veterano de guerra tentou juntar apoios na luta contra a pandemia, dando 100 voltas no seu pátio. A resposta foi surreal.
Um verdadeiro exemplo.

Ajudar o mundo neste tempo tão difícil, uma volta ao jardim de cada vez. O capitão Tom Moore, um veterano que serviu na Segunda Guerra Mundial e que completa 100 anos de idade a 30 de abril, quis ajudar o serviço nacional de saúde britânico (NHS) na sua luta contra a pandemia.

Estabeleceu um objetivo: percorrer o seu jardim 100 vezes, um total de apenas cerca de três quilómetros, porém difícil para quem já só se movimenta com ajuda de um andarilho. Pedia donativos em troca: sonhava com pouco mais de mil euros, mas passou os 15 milhões.

Tom Moore começou o desafio na quinta-feira passada, 9 de abril. A meta era clara: juntar dinheiro para o NHS Charities Together, que arrecada fundos para hospitais do Reino Unido, incluindo funcionários, voluntários e pacientes afetados pela crise do coronavírus.

O objetivo era completar 100 voltas ao seu jardim, fazendo mais ou menos dez voltas por dia, o que levaria cerca de dez dias — certo é que teria de ser antes dos seus 100 anos, a 30 de abril. E pensava angariar cerca de mil libras, quase mil e trezentos euros.

Em apenas um dia, Captain Tom como o mundo lhe chama (e como diz a sua conta de Twitter) passou logo o valor estabelecido. E agora, segundo o “The Guardian“, uma semana depois, já superou largamente a incrível soma de 12 milhões de libras — mais de 15 milhões de euros, diretos para o NHS, devido ao seu esforço.

A página de contribuições cresce de hora para hora, apesar de o veterano, que vive com sua família em Bedfordshire, ter entretanto também já conseguido completar a sua última volta de 25 metros, em tempo recorde — terminou na manhã desta quinta-feira, 16 de abril.

É uma história incrível e que, salienta o jornal britânico, se tornou num verdadeiro “farol de luz” num dos países do mundo mais devastados pela pandemia do novo coronavírus.

Com a sua iniciativa e devido aos resultados, o idoso já recebeu várias mensagens de agradecimento de trabalhadores do NHS, personalidades do desporto e não só, e também políticos. Até o Secretário da Saúde britânico, Matt Hancock, lhe agradeceu durante a conferência de imprensa de quarta-feira, dia 15. “Quero prestar uma homenagem especial ao capitão Tom Moore. Capitão Tom, é uma inspiração para todos, e nós agradecemos”.

Segundo a CNN, Moore treinou como engenheiro civil antes de se alistar no Exército Britânico durante a Segunda Guerra Mundial, onde serviu na Índia, Indonésia e Reino Unido. Mais tarde, tornou-se o diretor-gerente de uma fábrica de cimento.

A sua filha, Hannah Ingram-Moore, disse ao canal norte-americano que o seu pai se exercitava diariamente após uma recente substituição parcial da bacia e ela sugeriu que ele se se desafiasse a fazê-lo para angariar fundos. Moore aceitou, querendo assim agradecer à forma como foi tratado pelo NHS aquando da sua fratura da bacia.

Faltava apenas o apoio digital e o espalhar da mensagem: e para aumentar a consciencialização sobre a arrecadação de fundos, o filho de Hannah, Benji, de 16 anos, criou uma conta no Twitter para o seu avô, que entretanto já tem dezenas de milhares de seguidores.

Segundo a filha de Captain Tom, ele ficou “chocado” com as doações, acrescentando que ele está impressionado e agradecido ao público britânico pela generosidade demonstrada.

Hannah explicou ainda que o pai vive com ela, o seu marido e dois filhos desde a morte da sua mulher, em 2006. Mas apesar de viverem juntos e da idade, ele continua forte, independente, bem-humorado e faz questão de cozinhar as suas próprias refeições. 

“Ele sempre acredita que amanhã é um dia melhor, que é aliás a sua nova hashtag [no Twitter] e é basicamente como fomos criados” conclui. A hashtag a que Hannah se refere é #TomorrowWillBeAGoodDay: ou seja, “amanhã será um bom dia”.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT