Viagens

Vai poder ver os Jogos Olímpicos nos monumentos de Paris — sem pagar

Várias competições terão lugar em arenas criadas especialmente para o evento, em locais icónicos da capital francesa.
Um recintos temporários será aos pés da Torre Eiffel.

Motivos para visitar uma das cidades mais turísticas do mundo não faltam, mas este verão Paris terá um atrativo especial. Ao longo de quatro semanas — os Jogos Olímpicos realizam-se de 26 de julho a 11 de agosto e os Paraolímpicos de 28 de agosto a 8 de setembro — irá acolher os milhões de espectadores das diversas provas.

Trata-se da área metropolitana mais povoada da União Europeia e o desafio logístico é gigantesco. Uma das soluções passou por criar sete estruturas temporárias espalhadas pela cidade — uma boa notícia para quem gostaria de assistir a uma competição, mas não comprou bilhete. As arenas improvisadas foram erguidas perto de alguns dos monumentos mais icónicos do mundo e, quem estiver por perto, até poderá vislumbrar os atletas em ação.

Um dos estádios temporários será construído no parque Champ de Mars, aos pés do maior ícone de Paris, a Torre Eiffel. O recinto irá acolher as partidas de vólei de praia de futebol paraolímpico masculino para cegos. As bancadas têm capacidade para 12 mil espectadores com bilhetes, mas quem estiver num dos três andares da chamada “Dama de Ferro” terá direito a uma vista panorâmica.

A Torre Eiffel manter-se-á em funcionamento durante os jogos, exceto na véspera e dia da cerimónia de abertura, a 26 de julho. Os preços dos bilhetes variam consoante o andar e a forma de subir (elevador ou escadas) escolhidas, mas começam nos 11,80€ e podem ser comprados online.

A icónica estrutura de 330 metros desenhada por Gustave Eiffel para a Feira Mundial de 1889 ficará associada para sempre às Olimpíadas deste ano por outra razão. Ao longo dos anos, algumas das 18.038 peças de ferro têm sido substituídas para preservar a integridade da torre. Os pedaços de metal originais não são descartados, mas cuidadosamente armazenados. E agora, parte deles foram reciclados para cunhar as medalhas olímpicas. Cada hexágono (a forma geométrica que simboliza a França) contém 18 gramas do ferro original da Torre Eiffel.

O Champ de Mars irá acolher também a arena onde terão lugar as provas de judo olímpico e paraolímpico, luta livre (estilo livre e greco-romano) e rugby paraolímpico em cadeira de rodas. Na outra margem do Sena, em frente à Torre Eiffel, os jardins do Trocadéro vão servir de palco à cerimónia de abertura e ao Champions Park (diariamente, entre de 29 de julho a 10 de agosto, das 16 às 23h30). Os atletas medalhados irão marcar presença no espaço e as celebrações de vitória serão transmitidas num ecrã gigante todas as noites a partir das 19 horas.

O Trocadéro será também o ponto de partida e a meta das corridas de ciclismo de estrada masculino (273 quilómetros) e feminino (154 quilómetros) dias 3 e 4 de agosto, respectivamente. A última etapa de ambas as provas irá decorrer nas colinas de Montmartre e inclui três subidas de 800 metros o longo da calçada da Rue Lépic, com uma inclinação média de 6,5 por cento. Todos podem assistir ao desempenho dos atletas ao longo do desafiante percurso, basta cedo para garantir um lugar à beira da estrada.

Inaugurado para a Exposição Universal de Paris em 1900, o Grand Palais, está fechado desde 2021. O seu magnífico telhado de vidro abobadado e o interior Art Noveau estão a ser alvo de uma restauração profunda. Só voltará a abrir ao público em 2025, mas irá acolher as competições de esgrima olímpica e paraolímpica em cadeiras de rodas e taekwondo. Apenas quem tiver bilhetes poderá espreitar como estão a decorrer os trabalhos de restauro.

A Esplanade des Invalides, em frente ao Hôtel National des Invalides — onde jaz o túmulo de Napoleão Bonaparte — irá receber as provas de tiro com arco olímpico e paraolímpico. A meta da maratona olímpica masculina e da maratona noturna (aberta a todos, corredores amadores incluídos) será instalada no amplo jardim a 10 de agosto. No dia seguinte será a vez do final da maratona feminina, a 11.

Os atletas que competem na maratona olímpica de natação de 10 quilómetros em águas abertas vão nadar rio acima, a partir de um pontão sob a Ponte Alexandre III (que liga o quarteirão dos Campos Elísios à zona dos Invalides e da Torre Eiffel). Já o tabuleiro rodoviário irá acolher a meta dos contrarrelógios individuais do ciclismo de estrada e do triatlo.

As provas das modalidades olímpicas mais recentes — BMX estilo livre, basquetebol 3×3, skate e breaking (uma espécie de dança de rua praticada ao som de música de DJ, que fará a sua estreia olímpica) — irão decorrer na Praça da Concórdia. É a maior de Paris e ganhou o nome após ter sido palco de vários julgamentos terríveis: Luís XVI, Maria Antonieta e centenas de outros foram guilhotinados ali em 1793. A atual designação harmoniosa do local foi decidida dois anos depois, num gesto simbólico de reconciliação.

A praça também irá acolher o Parc Urbain La Concorde, uma zona de entretenimento com DJ, ecrã gigante, sessões de encontro com os atletas, demonstrações das várias novas modalidades olímpicas e uma pista de skate para miúdos. O recinto tem capacidade para 25 mil pessoas, mas à medida que forem saindo do espaço serão disponibilizados novos bilhetes (24€), em tempo real e atendendo à lotação máxima.

Fora dos limites urbanos de Paris, os jardins do Palácio de Versalhes irão acolher as provas equestres olímpicas e paraolímpicas – cross-country, adestramento e saltos de obstáculos – que irão decorrer em arenas temporárias. Tanto o palácio como os jardins permanecem abertos aos visitantes durante os Jogos e os bilhetes (desde 12€) podem ser comprados antecipadamente online.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT