Viagens

Veneza vai passar a exigir reservas aos turistas e a cobrar taxas a partir de janeiro

A cidade italiana quer reduzir o turismo massificado, controlando as entradas de visitantes.
Se fizer a reserva com antecedência, a taxa é menor.

Veneza é um dos destinos turísticos mais procurados da Europa e do mundo. A pressão que o turismo exerce sobre o município é de tal ordem que, uma forma encontrada para diminuir o número de visitantes diários, foi a aplicação de uma taxa. Todas as pessoas que quiserem descobrir as maravilhas da cidade italiana, vão precisar de reservar a entrada e pagar uma taxa a partir de 16 de janeiro de 2023.

O anúncio foi feito este sábado pela Câmara Municipal de Veneza. Simone Venturini, vereador com o pelouro do turismo da autarquia, explicou que será “certamente um método complexo, que não ganhará aplausos imediatos nem consenso eleitoral, mas será um marco no modelo turístico do futuro”.

Com esta decisão, a cidade conhecida pelos canais e pelas gôndolas torna-se o primeiro local do mundo a adotar um sistema com estes contornos.

A reserva terá de ser feita online “com alguns meses de antecedência” e implica um pagamento que varia entre os três e os 10 euros. Quanto mais cedo agendar a visita, mais baixo será o preço a pagar.

Os visitantes que durmam na cidade, contudo, estão isentos destas duas exigências, sendo que a taxa já estará incluída no custo do alojamento. Residentes, trabalhadores e nascidos em Veneza, estudantes, proprietários, crianças com menos de seis anos, deficientes e respetivos acompanhantes também não pagam.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT