Viagens

Viajante que está a dar a volta ao mundo de mota foi violada por 7 homens na Índia

O casal espanhol Fernanda e Vicente estava a acampar no país quando foi abordado por um grupo na noite de sexta-feira, 1 de março.
Fernanda e Vicente.

Quando Fernanda Santos e o marido, Vicente Barbera, começaram a dar a volta ao mundo de moto, há cerca de seis anos, jamais imaginaram o pesadelo que iriam viver num dos destinos. O casal espanhol, que tem partilhado a aventura nas redes sociais, denunciou o crime que sofreu na Índia, onde esteve nos últimos seis meses. 

Tudo aconteceu na última sexta-feira, 1 de março, no distrito de Dumka. O casal estava de partida para o Nepal, mas decidiu acampar no país uma última vez. Durante a noite, foram atacados por sete homens que agrediram o espanhol de 63 anos, e violaram a mulher, de 28 anos. 

“Estava a escurecer e decidimos acampar. Já estávamos dentro da tenda quando chegaram três homens em duas motas e começaram a gritar connosco e a atirar pedras. Quando olhei para fora, vi que um deles trazia um punham na manga”, começou por contar Vicente ao jornal “El Mundo”. 

Sem saberem o que fazer, os viajantes juntaram tudo o que conseguiram, vestiram a roupa de motociclista e Fernanda pegou numa das estacas da tenda para se defender. “Enquanto tentávamos conversar com eles para a situação acalmar, três dos homens agarraram-na. Tentei ir atrás dela, mas os outros quatros começaram a bater-me”, recorda.

Vicente ainda se conseguiu defender, pelo menos até ter sido atingido por uma pedra na cabeça e cair no chão, ficando quase inconsciente. “Amarraram-me e colocaram uma faca no meu pescoço. Disseram-me que me iam matar”, conta o espanhol.

Os homens, “alguns deles bastante jovens”, levaram a mulher brasileira com nacionalidade espanhola para uns arbustos. “De repente, parei de ouvi-la. Também não a conseguia ver. Achava que a tinham matado”.

Fernando, que ainda tem alguns hematomas na cara, contou ao jornal tudo o que aconteceu: “Nos arbustos, vários deles agarraram-me e despiram-me. Depois violaram-me à vez. Quando eu gritava, batiam-me na cara. Só conseguia ouvi-los a repetir as mesmas palavras em inglês: ‘only sex, only sex’”. Tudo isto durante três horas, até que se foram embora.

O casal, que conta com mais de 300 mil seguidores nas redes sociais, partilhou tudo o que lhes aconteceu no Instagram e fez queixa às autoridades indianas, após os dois terem sido encontrados no meio da estrada. A mulher utilizou o Google Translate para narrar o incidente e foi levada para o Centro Comunitário de Saúde, onde os médicos confirmaram o ataque. Fernanda tinha “os seios e partes íntimas roxas e uma costela partida”, bem como várias lesões na cara.

“Achei que íamos morrer. Graças a Deus que estamos vivos”, partilhou a viajante no Instagram. Desde que começou a viajar, o casal já percorreu 66 países e 170 mil quilómetros.

As autoridades indianas confirmaram este domingo, 3 de março, que quatro dos homens envolvidos na violação coletiva já foram detidos. “Um dos homens confessou o crime e deu detalhes sobre os arguidos que fugiram. Têm todos entre 20 e 30 anos”, explicou o agente Pitambar Singh Kherwar, da polícia de Dumka.

O casal está agora à espera da autorização para voltar a pegar nas motos e sair do país, seguindo para Katmandu, no Nepal. Ainda assim, Vicente deixou a mensagem: “A única coisa que peço agora é que não vejam a Índia como um país de violadores. No geral, é um lugar muito seguro, onde temos sido muito bem tratados, por pessoas muito humildes e trabalhadoras. Existem pessoas más em todo o lado.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT