Viagens

A vida das mulheres que ficaram com o emprego de sonho de vender livros nas Maldivas

Duas inglesas estão a usufruir, em plena pandemia, do cargo mais desejado do mundo: tome notas, porque este ano há mais.
Imagem partilhada no Instagram.

Em qualquer ano, altura, fase da vida e contexto, não deverá haver muitas coisas melhores do que esta: um emprego, lançado por um dos melhores resorts do mundo, que consiste em passar vários meses nas Maldivas, com tudo pago e a tarefa de tomar conta de livros, de os acarinhar e gerir a sua entrega aos hóspedes. E enquanto isto, usufruir de um verdadeiro paraíso natural na Terra — aprimorado pela beleza e pelo luxo dos espaços do hotel.

Se isto é então, em qualquer ocasião, o emprego de sonho, o que dizer da sua mais recente edição: aquela que levou duas sortudas mulheres de Londres, onde atualmente estão temperaturas gélidas e um pico da crise pandémica sem precedentes, a passarem agora os dias rodeadas de água transparente, areia branca, um sol abrasador — e ainda serem pagas por isso.

De há três anos para cá, um dos resorts mais incríveis do planeta, Soneva Fushi, o mesmo que anunciou recentemente que vai abrir as maiores villas sobre água do mundo (com escorregas para o mar), cria anualmente a vaga para o tal emprego de sonho: precisa, explica, de um livreiro descalço. Isso mesmo: está a chamar quem, vindo de qualquer parte do mundo, se esteja disposto a mudar seis meses para as Maldivas e vender livros.

Se nada o deixa mais feliz do que encontrar a leitura perfeita para as férias, se gosta de praias paradisíacas (quem não gosta), o regresso do “Barefoot Bookseller” foi provavelmente a melhor notícia de 2020. E para estas duas mulheres que conseguiram a vaga, Alice Spencer de 27 anos e Aislinn Shivakumar de 29, será uma das melhores notícias — e experiências — da sua vida.

Segundo a “Lonely Planet”, as duas britânicas chegaram às Maldivas em novembro, após fazer os testes Covid-19, claro e depois de vencer outros 600 candidatos de todo o mundo para o cargo. Por lá deverão ficar até à primavera.

Alice, adianta a revista, é originalmente de Bradford, tendo tirado uma licença sabática do seu trabalho como assessora de imprensa sénior na famosa editora Penguin Random House.

Aislinn, uma escritora irlandesa que morava em Londres, já havia trabalhado como livreira na HarperCollins and Waterstones. Aislinn está a supervisionar a livraria no resort Soneva Fushi, e Alice montou a livraria no resort irmão, Soneva Jani, pela primeira vez.

As suas aventuras, experiências, o seu idílico dia a dia, são agora partilhados regularmente em jeito do blogue no site da Barefoot Bookseller e no Instagram.

Além de vender livros, têm como função fazer curadoria de bibliotecas, dar aulas de redação criativa e eventos para autores e alimentar o tal blogue. Como benesses, foras as óbvias, têm ainda aulas de ioga na praia, natação e mergulho no mar, cruzeiros com golfinhos ao pôr do sol e filmes sob as estrelas ao ar livre.

“Depois de um ano turbulento, a última coisa que imaginei era estar agora do outro lado do mundo nas Maldivas para abrir e administrar uma livraria. Mas, se alguma coisa, o ano estranho fez-me querer abraçar ainda mais a nova experiência”, explicou Alice à revista.

Tudo isto começou em 2018, quando a Ultimate Library, juntamente com o luxuoso resort de cinco estrelas Soneva Fushi criou uma livraria pop-up nesta ilha das Maldivas. E começou a criar vagas, abertas a candidatos de todo o mundo.

Em breve, se tudo correr bem, deverá pode concorrer novamente ao melhor emprego disponível no mercado. Os requisitos não são muitos mas convém ter no entanto em conta que, para avaliar os candidatos, a experiência em editoras ou lojas de livros é privilegiada.

“Pode ser nosso próximo livreiro descalço? Tem experiência em publicação ou venda de livros? Quer fugir de tudo para vender livros numa ilha deserta das Maldivas? Adora ler, é um excelente comunicador e adora escrever? Se lhe soa bem, é perfeito para o nosso Barefoot Bookseller 2020”, dizia o desafio que levou as duas mulheres ao seu emprego perfeito.

Os hotéis ficam na ilha de Medhufaru, na localização de sonho do Atol de Baa. A livraria que é normalmente o posto de trabalho foi criada para refletir “o ambiente natural deslumbrante e o luxo inteligente que o Soneva Fushi oferece”, adiantava a descrição do último concurso.

“Enquanto a maioria de nós acha que as férias são a única oportunidade que temos de ler por prazer, encontrar o livro perfeito que realce o seu destino e abra sua mente pode ser um desafio. Os anteriores livreiros descalços proporcionaram aos hóspedes experiências literárias inesquecíveis, desde workshops para escritores a consultas pessoais de leitura. Estamos interessados ​​em ver que novas ideias pode trazer para o lugar”, explicava.

Finalmente, os interessados a cada ano devem ser criativos, inspiradores e capazes de transmitir o gosto pela leitura, e devem estar preparados para conhecer milionários e celebridades que são presença assídua no eco resort paradisíaco.

As vagas costumam ser lançadas no verão e os sortudos têm um treino prévio com a equipe da Ultimate Library antes de voar para as Maldivas para se juntar à equipe Soneva para uma colocação de meio ano (geralmente a partir do final de outubro até após a Páscoa).

Tudo isto fica ainda melhor, se possível, sabendo ser recentemente anunciado que este resort que é uma ilha privada inaugurou recentemente as maiores (e provavelmente mais incríveis) villas sobre água do mundo.

Soneva Fushi já era, antes destas villas, um sonho. O refúgio original ocupa uma ilha deserta e privada nas Maldivas — aqui, fazer férias ou alugar uma villa é ter a ilha só para si juntamente com os outros hóspedes, com mimos, privacidade e benefícios que parecem saídos de um filme.

Nesta pequena ilha no Atol de Baa, uma Reserva da Biosfera da UNESCO a 30 minutos de hidroavião do Aeroporto Internacional de Malé, as espaçosas e luxuosas villas estão escondidas entre a densa folhagem, rodeadas por mar e corais. O resort, todo ecológico, com materiais e práticas sustentáveis, dispõe de cabanas luxuosas e gigantes com acesso privado e directo à praia. As casas de banho exclusivas estão dentro de um grande jardim privado com chuveiros ao ar livre e banheiras separadas.

Mas há muito mais: quem aqui fica tem direito a mordomos, passeios de bicicleta gratuitos pela ilha, observação de estrelas, cinema ao ar livre. Há ainda salas de chocolate e de gelados grátis, uma adega com mais de 500 vinhos e seis restaurantes de diferentes gastronomias.

O pequeno almoço é descrito pelos visitantes como uma experiência divinal, os mordomos chamam-se Sr Sexta-feira e Sra sexta-feira, o espírito é de ilha de Robinson Crusoé, com motivos decorativos e atividades a invocá-lo mas tudo em modo luxo, claro. Os desportos aquáticos são gratuitos e os hóspedes até podem passar uma noite num banco de areia, completamente privado e remoto, para uma experiência verdadeiramente íntima sob as estrelas.

Como se isto não bastasse, cada alojamento do resort inaugurado em 1995 é melhor do que o anterior: uns têm piscinas privadas, outros escorregas diretos para a piscina privada, alguns possuem jardins privados de árvores frondosas e tropicais, alguns têm até uma espécie de ninho de pássaro suspenso para comer as refeições, com vistas indescritíveis.

As villas são feitas madeira e palha de palmeira, decoradas com materiais naturais, têm todos os luxos e serviços possíveis, as praias têm palmeiras e o Soneva Fushi Spa tem um grande lago com cascatas.

E recentemente, abriram então aquelas que a cadeia diz serem as maiores villas de um ou dois quartos sobre água do mundo: oito novos retiros que são também são as primeiras vilas sobre a água de Soneva Fushi.

Acedidas por um cais perto de Dolphin Beach, os oito retiros de água foram projetados para garantir a máxima privacidade para os hóspedes, bem como para aproveitar as vistas perfeitas do oceano.

Os retiros de água de um quarto têm cerca de 584 metros quadrados e os de dois quartos 857 m². Os interiores espaçosos e os espaços exteriores proporcionam uma estadia única, com detalhes que não acabam. Aqui, há o tal escorrega que o leva diretamente dos quartos para o mar, camas de redes suspensas sobre a água, duches ao ar livre e o quarto principal tem um teto que se pode retrair para permitir a observação das estrelas da cama. 

Para quem não for um livreiro descalço, conhecer o Soneva Fushi é sobretudo sonhar, já que as noites neste resort das Maldivas começam nos mil euros — mas podem superar os 11 mil por noite.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT