Europa

Aldeia que serviu de cenário a “Heidi” é um tesouro escondido nos Alpes Suíços

Apresentador João Manzarra visitou o local onde foi gravado o primeiro filme suíço da menina órfã que conquistou toda uma geração.
Um sonho.

Os miúdos que nasceram depois de 2000 provavelmente nunca ouviram falar da Heidi, mas a menina órfã que vivia na Suíça marcou uma geração. A famosa personagem criada pela escritora Johanna Spyri em 1880 tornou-se um fenómeno mundial. Os livros foram traduzidos em mais de 50 idiomas e, só no cinema, a história já foi contada dez vezes.

Contudo, a adaptação mais famosa é a da conhecida série de desenhos animados japoneses que estreou em Portugal em 1976. A produção animada transformou a menina dos Alpes num ícone que, ainda hoje, atrai milhares de turistas à região. O que muitos não sabem é que Heidi nasceu num pequeno e idílico vilarejo com apenas 2.140 habitantes.

Johanna Spyri escreveu o livro durante a temporada que passou em casa de uns amigos em Maienfeld, no distrito de Landquart, na Suíça. A beleza da região inspirou a escritora, como mostra o primeiro parágrafo do clássico de literatura infantil: “Da bem localizada e antiga cidadezinha de Maienfeld, o trilha segue ao longo dos campos verdes cheios de árvores até ao pé da montanha, de onde se tem uma vista majestosa do vale”, escreveu.

Este não foi, contudo, o cenário do primeiro filme suíço da Heidi, lançado em 1952. O local escolhido para as gravações fica a cerca de 70 quilómetros da primeira morada e chama-se Bergün, uma aldeia típica do cantão de Grisões, a 1.373 metros acima do nível do mar. A adaptação cinematográfica teve um sucesso tão grande que a pequena localidade começou a receber centenas de turistas todos os dias — e até João Manzarra se deixou encantar pelo destino.

O apresentador de televisão decidiu viajar até aos Alpes Suíços, acompanhado pelo viajante português João Amorim, e tem-se dedicado a fazer vários trilhos. O roteiro incluiu ainda uma breve passagem pela “aldeia da Heidi”.

“Tive o privilégio de conhecer o lugar onde a Heidi viveu e cresceu com o seu avô. Um senhor impecável que lhe ensinou as maravilhas da vida no campo. Obrigada Heidi e avô por tudo. Foi um dia espetacular”, escreveu nas redes sociais.

Em tom de brincadeira, acrescentou ainda: “A aldeia da Heidi é lindíssima, não há dúvidas! Mas a Heidi merecia uma aldeia assim, porque, honestamente, sempre foi muito fixe, boa miúda, simpática para o avô, uma joia”.

As pitorescas casas com fachadas pintadas à mão remontam ao século XVI e a pequena igreja com 800 anos de história são alguns dos destaques da aldeia alpina com (somente) 400 habitantes. O edifício que mais chama a atenção é a torre, o ponto mais alto da localidade Construída como meio de proteção, era também um símbolo do poder dos senhores feudais no século XVII — e até chegou a funcionar como uma prisão. 

A beleza da região é inegável em qualquer época do ano, mas no inverno é conhecida como “o mundo dos trenós”. Quando a montanha se enche de neve, é possível percorrer mais de seis quilómetros desde Albula até Bergün, numa pista que fica iluminada até bastante tarde. Há ainda uma segunda pista para trenós, mais íngreme, que começa em Darlux e promete diversão para os mais ousados. Como não podia deixar de ser, a vila tem também uma estância de esqui, bem como dois teleféricos que transportam os aventureiros até 2.552 metros acima do nível do mar. 

Já nos meses do verão, os visitantes optam pelos percursos pedestres e temáticos, como a experiência única de percorrer o “Caminho da Heidi”, uma rota inaugurada em 2016 que nos leva até à casa do avô da personagem principal, no meio dos Alpes Suíças. O caminho estende-se ao longo de 11 quilómetros, é circular e demora cerca de cinco horas a ser percorrido. 

Ao longo do trilho, há vários painéis informativos em inglês e alemão que mostram as localizações e outras informações sobre o filme. A meio do percurso surge a casa do avô, uma típica construção de madeira e pedra datada de 1920, tendo sido renovada em 1951 e 2015. A habitação é privada e não é possível visitá-la, mas o exterior já rende algumas fotografias incríveis para o Instagram, sobretudo com os altos picos dos Alpes sempre como pano de fundo.

Como lá chegar

Para chegar a Bergün, região de Heidi, a alternativa mais fácil é voar até Zurique. Se partir de Lisboa, encontra bilhetes de ida e volta a partir de 60€. Após aterrar, irá precisar de apanhar dois comboios: o primeiro até à estação de Chur e, aí, apanhará o segundo, até Bergün/Bravuogn. 

A seguir, carregue na galeria para conhecer melhor a aldeia da Heidi nos Alpes Suíços.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT