Europa

As cascatas (quase) secretas da Grécia que tem mesmo de conhecer este verão

As ilhas gregas recebem milhares de turistas todos os anos, mas poucos conhecem as cascatas que se escondem das multidões.
Um cenário maravilhoso.

Esqueça as confusões e os spots cheios de turistas num dos espaços mais procurados da Europa. Visitar a Grécia, a capital histórica da Europa, é como conhecer um museu ao ar livre. Há monumentos em todos os cantos e o cheiro a moussaka que se sente no ar abre o apetite a qualquer um. Mas é mesmo por ser um destino tão incrível, que acaba por ficar lotado de pessoas.

Torna-se, então, contraditório: por um lado, é fascinante passear pelas suas ruas, por outro, perde toda a magia por ser tão solicitado. Já para não falar sobre as ilhas — essas são ainda mais procuradas e visitadas por milhares de turistas todos os anos. Entre elas, está a ilha de Lefkada.

No mar Jônico e unida ao continente grego por estrada, é uma ilha com montanhas e praias tão imaculadas que pode ser vista regularmente em publicidades. Rodeada de mar e de montanhas, na costa leste de Lefkada, a vila de Nidri é a estância turística mais popular da ilha. Durante as noites de verão, enche-se de uma atmosfera agitada e emocionante.

É a apenas uma hora de carro do caos dos bares e das festas que se esconde um pequeno refúgio incrivelmente tranquilo: as cascatas de Dimosari. Desconhecidas ainda para a maioria das pessoas, são, no entanto, bastante fáceis de encontrar no GPS.

Basta conduzir na rua paralela à frente do porto e procurar uma placa feita à mão onde se pode ler a palavra “waterfalls”. A partir desse ponto, está bastante bem sinalizado e, no caso de dúvidas, é só continuar a afastar-se da cidade.

Para quem prefere deslocar-se a pé ou de bicicleta, também é possível fazê-lo, já que as estradas são tranquilas e planas. Há, aliás, vários lugares para alugar bicicletas espalhados pela cidade. Não se assuste com a subida, significa que está quase a chegar. Primeiro, vai passar por um estacionamento, com vários espaços para deixar as bicicletas.

Suba depois outra colina até chegar a um bar, também ele convidativo para passar um bom tempo de convívio. É depois que chega à melhor parte. A primeira queda de água é a menor, mas dá já para nadar num ambiente sossegado. Avisamos, porém, os mais friorentos, que pode não estar na temperatura mais confortável.

Continuando a subir, chega-se à cascata maior. Aqui, sugerimos que procure uma rocha para se sentar e fazer um piquenique. Vai encontrar vários pontos isolados, longe da presença de outras pessoas, que aumentam a sensação de serenidade. Escolha o melhor spot e aproveite para comer, descansar e tirar algumas fotos. Sim, não se pode esquecer de gravar toda a paisagem através da lente do telemóvel ou de uma máquina fotográfica.

Parta depois à descoberta, mas não se esqueça de levar uns sapatos antiderrapantes. Além de ter partes mais estreitas ao longo do percurso, em algumas zonas o chão pode ser bastante escorregadio.

De volta à cidade, sugerimos que alugue um veleiro. Dessa forma, poderá ver todas as ilhas vizinhas. Existem várias empresas espalhadas pela ilha a vender as mais variadas viagens.

Carregue na galeria para ver algumas imagens das cascatas de Dimosari e da vila de Nidri.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT