Europa

Nestes jardins italianos vai encontrar o refúgio calmo de que tanto precisa

Ponto de encontro habitual entre os romanos, continua a passar despercebido entre os milhares de turistas que voam até Itália.
É lindo.

Roma é a capital do amor, da comida e das fontes. Provavelmente, a cidade onde acontecem mais pedidos de casamento ou onde se lança mais dinheiro ao ar. Sim, literalmente. E o objetivo? Apaixonar, namorar e casar. Parece que tudo nesta cidade é propício a este sentimento. O resultado? Saímos de lá apaixonados, não só por alguém, mas pelo próprio sítio.

É difícil encontrar alguém que não goste particularmente desta cidade. Principalmente um típico português, fã de boa comida e ambiente. Lá, facilmente se encontra onde comer a melhor pizza de sempre, ou o gelado mais delicioso, e ainda a lasanha mais desejada.

Comer cornetto (o dito croissant) e beber um cappuccino pela manhã não tem comparação. E assim como é fácil comer bem, não é difícil conhecer as vistas. Em poucos passos vai passar certamente por fontes, ruínas e monumentos. Isso é coisa que não falta em Roma.

Relativamente pequena e agregando as principais atrações em pouco espaço, torna-se fácil conhecer toda a cidade a pé. Caminhar é mesmo a melhor forma de explorar, além de render fotos incríveis. Mas, se tiver de apanhar transportes públicos, não se preocupe: apesar de os próprios italianos os criticarem são bastantes bons quando comparados aos nossos.

Abra bem os olhos, porque vai encontrar arte espalhada por todo o lado. E turistas, muitos turistas. Claro que se não estiver para aí virado, há outras alternativas. Não deixe de conhecer Roma por achar que é uma cidade cliché, cheia de pessoas com os telemóveis na mão prontos para uma boa fotografia.

Lá, vai encontrar, aliás, um grande espaço verde e que é considerado o pulmão da capital. São 80 hectares de jardim, onde se pode correr, fazer exercício, passear ou sentar-se a ler. Trata-se da Villa Borghese, mesmo no centro e nada longe do Coliseu ou da Via Condotti. À distância de três minutos a pé da Piazza Popolo, localizada na Colina Pincian, foi criada pelo Cardeal Scipione Borghese, que queria transformar o seu antigo vinhedo nos mais extensos jardins construídos em Roma.

Após a sua construção, já sofreram várias modificações, mas foi no século XIX que estes foram alterados para um estilo inglês que ainda hoje se mantém. Dos jardins ainda pode apreciar a paisagem sobre a cidade e aproveitar a tranquilidade do espaço.

Claro que existem outros parques em grandes cidades, como o Hyde Park em Londres ou o Central Park em Nova Iorque. Esses toda a gente conhece e é por isso que a Villa Borghese se torna tão especial.

Aberto todos os dias do amanhecer ao anoitecer, e gratuito, é ponto de encontro habitual entre os romanos, mas passa ainda despercebido aos milhares de turistas que voam até Itália com sede de Coliseus e Fontanas di Trevi.

É a combinação perfeita entre a natureza e a arte de Roma. Caminhar pelos jardins significa ver construções, esculturas, monumentos e fontes de famosos artistas de diferentes épocas. Além disso, o espaço inclui um dos museus mais importantes da capital italiana (Galeria Borghese) e um zoo. Conhecido como Bioparco contém mais de 1000 animais de 200 espécies diferentes.

A funcionar em pleno, o Relógio de Água do Pincio é um exemplo da engenharia do século XIX e o Silvano Toti Globe Theatre é uma cópia do teatro Shakespeare’s Globe Theatre de Londres. Se tem alguma viagem marcada para este destino, não pode mesmo deixar de visitar este spot. E se ainda não tem, está na hora de arranjar uma alternativa. Fique atento às ofertas da NiTtravel e não perca a oportunidade de riscar este sítio da sua bucket list.

Carregue na galeria para conhecer a cidade de Roma.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT