Europa

O antigo palácio do século XVIII que renasceu como hotel (com um spa escondido)

O Palau Fugit nasceu da recuperação de uma casa senhorial abandonada. Tem uma incrível piscina aquecida no interior de uma rocha.
Aqui está ele.

“Mais do que um hotel, é um modo de vida”. É assim que o recém-inaugurado Palau Fugit, no coração de Girona (na Catalunha, em Espanha), se apresenta. Construído no século XVIII, o edifício foi alvo de uma restauração que procurou preservar ao máximo a arquitetura original, respeitando os detalhes e características da época.

Localizada no centro histórico da cidade, a nova unidade hoteleira era um antigo palácio barroco. A Casa Heras de Puig, assim se chamava, foi habitada por várias gerações da família de proprietários rurais Heras d’Adri. Porém, não conseguiu escapar à passagem do tempo, tendo ficado completamente abandonada e a precisar de uma renovação urgente.

Tudo mudou em 2018, quando vários profissionais de design, artistas e artesãos se juntaram para transformar o antigo edifício num boutique hotel, inaugurado em novembro do ano passado. 

“De um palácio do século XVIII a um espaço aberto à arte, à natureza, às tradições, a Girona, ao mundo. Fuja e aproveite todas as coisas que o satisfazem — é isso que consideramos ‘La Vida Plena’”, descrevem. O premiado Equipado Creativo, um estúdio de design de interiores especializado no setor hoteleiro, brincou com elementos da arquitetura original do edifício e utilizou técnicas contemporâneas para dar uma “lufada de ar fresco ao espaço”. Como resultado, criaram um interior elegante e acolhedor que evoca um ambiente casual.

O Palau Fugit consiste em duas estruturas, sendo uma delas o El Palauet. “É uma síntese das várias facetas de Girona. O bairro histórico onde estamos situados destaca-se pela mistura de texturas rochosas e arcos suaves, onde a natureza encontra a arte. O resto da cidade destaca-se pelas cores ricas e pela alegria. Estes contrastes são o charme do pequeno palácio original”, admitem.

É aqui que pode encontrar um pátio, a receção, restaurante, bar e um spa — um dos destaques da unidade hoteleira. Chama-se La Cova d’Aigua e fica situada no interior de uma rocha calcária das muralhas romanas de Girona. Tem uma piscina aquecida, pedras quentes onde os hóspedes se podem deitar, bem como uma área dedicada a massagens e tratamentos. É descrito como um “espaço íntimo e relaxante”, com uma arquitetura única.

Já o El Pavelló, o segundo edifício, é um anexo mais moderno, que “representa o espírito do Mediterâneo”, que compreende uma pequena piscina. Os 25 quartos, cada um decorado de forma única e com móveis antigos cuidadosamente escolhidos, estão distribuídos pelos dois imóveis. Os situados bi El Palauet misturam modernismo e história, enquanto os do El Pavello realçam a essência da cultura mediterrânica, com materiais mais leves e naturais.

A decoração inclui obras originais de artistas locais, tendo como pano de fundo arcos e pórticos góticos, um tema recorrente inspirado na arquitetura distinta do bairro histórico de Barri Vell. “O nosso luxo está nos detalhes. Cada trabalho artesanal tem um motivo por trás”, destacam.

A suite Fugit Torre, com 32 metros quadrados e situada no último andar, é um dos atrativos do hotel. Tem capacidade para dois hóspedes e um terraço de onde se avista a histórica universidade de Girona.

Os dois edifícios estão ligados por pátio interior, descrito como “a joia do palácio, com a sua piscina, luz natural, muralhas românicas e fonte central do artista Frederic Amat” — uma incrível escultura de cerâmica em forma de pirâmide, com quase três metros de altura.

​A Casa Heras, o restaurante do hotel, inspira-se nos espaços sociais originais do palácio, elevados com arte moderna e murais extravagantes. Os hóspedes podem comer ainda no La Placeta, um restaurante aconchegante localizado no pátio, ou no Gipsy, o elegante bar que serve cocktails. 

Já o El Terrat, o bar no rooftop, serve as famosas tapas espanholas entre espetáculos de jazz. Outra das áreas comuns é a biblioteca, que funciona também como um espaço que pode ser alugado para jantares e reuniões privadas, centradas à volta de uma mesa de mármore.

O estúdio de design de interiores reinventou os ambientes de uma casa nobre, conferindo-lhes um toque contemporâneo e artístico. “Respeitámos a arquitetura original, mas demos-lhe um ar mais fresco, elegante e surpreendente”, evidenciam. 

Entre os artistas que contribuíram para tornar o espaço único contam-se nomes como Judith Bernàcer (que deixou a sua arte floral em cada recanto do palácio), Núria Gimbernat (que criou cerâmicas exclusivas) e Sonia Estévez, que decorou as áreas comuns com as suas ilustrações.

Quanto aos valores da estadia, os preços rondam os 300€ por noite. As reservas podem ser feitas online. 

Como lá chegar

A forma mais prática de chegar ao Palau Fugit é voar até Barcelona. Se partir de Lisboa, encontra bilhetes de ida e volta desde 30€. Uma vez no aeroporto, pode apanhar o comboio até à estação Sants, de onde parte o comboio que o levará até Girona. O percurso demora pouco mais de uma hora.

Carregue na galeria para ver mais imagens do novo boutique hotel da Catalunha, em Espanha.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT