Europa

O hotel de gelo que derrete todos os anos está de volta com novas suites

O IceHotel é reconstruído todos os invernos desde 1989. Em abril, os quartos começam a desaparecer.
Derrete todos os anos.

Todos os anos, com a chegada do inverno, há uma história que se repete na Suécia: abre-se um mundo mágico feito de gelo e neve na localidade de Jukkasjärvid, na Lapónia sueca, a 200 quilómetros do Círculo Polar Ártico. Assim que os primeiros raios de sol chegam à Suécia, e a primeira vem ocupar o lugar do inverno, o IceHotel começa a derreter. E ninguém tenta parar o inevitável: é assim desde 1989, altura em que se decidiu pela primeira vez construir um hotel com data de validade.

Assim, todos os anos o hotel de gelo volta a renascer e é construído por artistas de todo o mundo que mostram o que sabem fazer de melhor — e a 13ª edição já está pronta. As portas do Icehotel 33 abriram no dia 16 de dezembro. À semelhança dos anos anteriores, cada quarto é uma verdadeira obra de arte. Ao longo de seis semanas, 24 artistas, em conjunto com a equipa de construção do hotel e o diretor criativo Luca Roncoroni, construíram as 12 novas suites feitas inteiramente de gelo e neve.

Aberto há pouco mais de uma semana, já foram divulgadas as primeiras imagens deste icónico hotel que derrete todos os anos. Desta vez, os quartos incluem temas como um jardim japonês, cogumelos gigantes e jogadores de hóquei no gelo, tudo feito com 500 toneladas de gelo retiradas do rio Torne.

“Aqui está um jardim gelado, onde a luz atravessa o gelo, então parece que está sob uma pérgula”, descreve o IceHotel no Instagram sobre a suite “Garden”, criada pelos designers japoneses Natsuki e Shingo Saito. As suites não se derretem graças às baixas temperaturas que ali sentimos, que não sobem acima dos cinco graus negativos.

O Ice Hotel estará aberto até 16 de abril de 2023, mesmo antes de o sol se fazer sentir. Uma noite numa das suites de gelo custa, no mínimo, 675€, mas a experiência que oferece é verdadeiramente única. Os hóspedes recebem sacos-cama especiais para temperaturas extremas, o que significa que só precisam de um chapéu, termos, meias quentes e uma camisola para passar a noite sem congelar.

Ainda para quem lá dorme, além da incrível experiência os hóspedes podem ter experiências árticas ao ar livre, como aventuras em motos de neve sob as auroras boreais, passeios em trenó puxado por cães ou degustação de culinária premiada no Icehotel Restaurant. 

Apesar de os quartos começarem a derreter no mês de abril, há algo que irá permanecer durante todo o ano: chama-se Icehotel 365, que tem um Icebar, uma sala de cinema e uma exposição feita de gelo e neve.

Como tudo começou

Inspirado na tradição japonesa de esculpir gelo, Yngve Bergqvist, fundador do Icehotel, convidou dois profissionais da área para um workshop em Jukkasjärvi em 1989. No inverno seguinte, foi construído um iglo com 60 metros quadrados, que recebeu o nome ARTic Hall e servia como galeria de arte. Nos anos seguintes, além das exposições artísticas, o espaço servia para serviços religiosos e projeção de filmes.

De 60 metros quadrados passou para 250. Certa noite, um grupo de convidados perguntou se podia passar a noite no ARTic Hall. Assim foi: equipados com cobertores feitos com pele de rena e sacos-cama, eles dormiram na galeria de arte — e adoraram a experiência. Nascia assim a ideia do Icehotel. A marca consolidou-se no início dos anos 90.

Para construir o hotel, é utilizada uma mistura de gelo e neve feitos a partir da água do rio. Chamam-lhe snice. Isto é colocado em moldes até estar totalmente solidificado. Quando as paredes estão construídas, começa o processo criativo. Cada um dos quartos é preenchido com neve e gelo nas quantidades necessárias, o material necessário para cada artista iniciar o seu processo criativo assim que chegar. Seis semanas depois, está terminado.

Como lá chegar

Apesar de estar praticamente isolado, não é assim tão difícil chegar ao IceHotel. O aeroporto mais próxima é a cidade de Kiruna, na Suécia, por isso o primeiro passo é mesmo comprar os bilhetes de avião. Com partida de Lisboa, encontra voos de ida e volta no mês de fevereiro desde 369€, com escala em Frankfurt e Arlanda.

Embora o ICEHOTEL seja alegremente isolado, você ficará feliz em saber que é fácil alcançá-lo. O aeroporto mais próximo é Kiruna, que fica a apenas 15 minutos de carro do hotel. Depois, é só esperar pelo transfer (que terá de reservar antecipadamente com o hotel) que o levará até ao IceHotel em 15 minutos.

Carregue na galeria para ver as primeiras imagens das novas suites do hotel do gelo na Lapónia sueca.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT