Europa

O trilho norueguês que é considerado um dos melhores da Europa

Desde turistas a despirem-se a pedidos de casamento, aqui acontece de tudo. Chegar ao topo pode ser verdadeiramente desafiador.
Parece uma língua de troll.

Férias na praia, montanha ou de aventura: existem turistas para tudo. Se uns preferem ficar deitados numa toalha a relaxar e a aproveitar o sol do verão, outros optam por tirar uns dias no inverno. E claro que não podiam faltar os mais aventureiros, para quem ficar confortável não é, de todo, a primeira escolha.

Nesta área há aqueles que não perdem uma oportunidade para explorar as regiões mais bonitas ou desafiantes, da forma mais incrível: a pé. Descobrir territórios através de trilhos e caminhadas é uma tendência que tem ganho cada vez mais adeptos. Além dos benefícios para a saúde, é uma forma perfeita para estar em contacto com a natureza, conhecer os segredos escondidos de cada destino e viver experiências inesquecíveis. Tudo isto sem gastar muito dinheiro.

A OnBuy Treadmills, uma loja de artigos desportivos, decidiu enumerar as melhores caminhadas na Europa. Com base nas avaliações de sites como o Tripadvisor, a equipa reuniu uma lista dos 40 trilhos melhor posicionados nas preferências dos utilizadores. A partir daí, pesquisaram cada um deles individualmente através das respetivas hashtags do Instagram até chegarem àquelas que são, de facto, as caminhadas mais populares do continente europeu.

Na lista estava incluído, aliás, o famoso trilho Pico do Arieiro — Pico Ruivo, na ilha da Madeira, posicionado no 17.º lugar. Ainda assim, a NiTtravel concentrou-se no top 7 da lista e encontrámos aquele que é considerado o trilho mais espetacular da Noruega.

Com 22 quilómetros (ida e volta), a Trolltunga (língua de troll, nome dado devido ao seu formato) é uma formação rochosa que fica a 700 metros de altura do lago Ringedalsvatnet e é conhecida por ser muito instagramável. Para chegar ao topo, precisa de fazer uma subida intensa que pode tornar-se ainda mais desafiante com neve.

Não se deixe enganar pelo seu cenário fascinante: esta caminhada pode levar 10 a 12 horas a ser feita e a subida não é pequena. Mesmo assim — a cerca de 1100 metros acima do nível do mar, e a 700 no lago Ringedalsvatnet —, atrai turistas de todo o mundo.

O primeiro quilómetro é a parte mais difícil do percurso, especialmente se estiver muito carregado. Lembre-se, portanto, de levar apenas o essencial. Vai ser penoso e os seus pés vão, certamente, queixar-se, mas, ao ver o sinal da primeira etapa concluída, ficará surpreso ao sentir uma explosão de energia. A partir daí e até ao segundo quilómetro será bastante mais simples.

Mesmo coberto de lama ou com chuva, é possível passar por toda a experiência. Não se esqueça de levar os sapatos mais adequados e um par de meias extra. Não recomendamos, contudo, fazê-lo durante o inverno, a não ser que tenha no seu currículo uma passagem pelo Everest. A melhor época é mesmo entre junho e setembro.

Uma vez no topo, é preciso descer por alguns degraus de metal e é aqui que começa a fila para a língua de Trolltunga. Quem não quiser esperar 30 minutos (com sorte), poderá aproveitar a área para tirar fotos e celebrar por ter chegado tão longe. A maioria fica lá por uma ou duas horas antes de voltar para baixo. Não se preocupe, porque não faltarão coisas para se entreter. Desde ver pessoas a despirem-se ou pedidos de casamento, aqui acontece de tudo.

O caminho de regresso demora o mesmo tempo do de ida. Se não quiser acampar na montanha (que é possível), não se esqueça deste pormenor e planeie muito bem a hora de chegada, que deve ser marcada para bem cedo. A última hora recomendada para começar o trilho é às 8 horas, de forma a evitar fazer alguma parte às escuras. Alguns pontos são íngremes e desafiadores, mesmo durante o dia.

Trolltunga está localizada na cidade de Skjeggeda, a cerca de sete quilómetros de Odda. Os caminhantes e visitantes normalmente ficam nesta cidade maior antes de embarcar na aventura e é ideal para acampar. O aeroporto mais próximo para o qual deve voar é Bergen, a três horas de carro de Odda.

Se for de transporte próprio, pode estacionar em dois parques. Se o mais próximo estiver esgotado, pode optar pelo primeiro e apanhar depois um autocarro gratuito até ao início do trilho. Também aqui, e mesmo sentado, vai ser um momento excitante. A estrada é bastante peculiar e muito pouco apropriada para a passagem de um veículo tão grande. Se sofrer de vertigens, o melhor é nem abrir os olhos.

Leia também o artigo para ficar a conhecer um dos spots mais bonitos onde pode acampar durante a viagem à Noruega.

Carregue na galeria para ver imagens deste trilho e do espaço envolvente.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT