NiTtravel

A igreja mais inacessível e remota do mundo pode ser a sua próxima viagem de sonho

O lugar de culto foi escavado numa montanha, a 2.580 metros acima do nível do mar. É considerado um teste de fé para os fiéis.
É só para os corajosos.

Nem os crentes mais fervorosos terão a coragem de alcançar a Abuna Yemata, considerada a igreja mais inacessível do mundo. Aliás, só mesmo uma força divina inexplicável será suficiente para encorajar qualquer pessoa a subir ao topo de um penhasco para ver este local de culto — mas não há dúvidas de que será uma verdadeira e inesquecível aventura. 

A 2.580 metros acima do nível do mar, esta “igreja no céu”, como lhe chamam, foi escavada nas remotas montanhas de Gheralda, no norte da Etiópia. À primeira vista parece um simples buraco numa pedra gigantesca, mas o que se esconde no interior é mais do que surpreendente. As rochas estão pintadas com figuras datadas do ano 600 d.C.

​As origens exatas da igreja são desconhecidas, mas acredita-se que tenha sido construída no século VI, em homenagem ao monge eremita chamado Abuna Yemata, que veio a dar o nome ao local de culto. Esculpida diretamente nas falésias, as paredes e os tetos ainda estão decorados com murais que representam cenas bíblicas e iconografia cristã.

O mais impressionante de tudo é que, mesmo com o passar dos séculos, as pinturas nunca foram renovadas. Nem precisam. O ar seco e a falta de humidade preservaram perfeitamente os murais, que têm como tema os nove santos e os 12 apóstolos.

Situada no topo de um penhasco, para lá chegar é preciso escalar cerca de 5,7 metros de altura, atravessar pontes que são tudo menos estáveis e percorrer caminhos estreitos na beira de precipícios.  E mais: por ser um solo sagrado, a subida deve ser feita sem qualquer tipo de calçado.

A caminhada é perigosa e cheia de adrenalina, mas a reta final é mesmo a fase mais complicada. Antes de chegar à entrada, terá de atravessar um percurso apertado, com apenas 50 centímetros de largura. As vistas da paisagem são surpreendentes, porém a altura é tão assustadora que vai querer entrar para dentro da igreja o mais rapidamente possível.

@marinaguaragna

essa é a igreja mais inacessível do mundo. escavada no topo de um desfiladeiro no norte da Etiópia, Abuna Yemata é uma igreja cristã ortodoxa que permaneceu inacessível durante séculos no meio de um deserto. e é justamente por causa a sua localização remota e intencionalmente escondida que ela resistiu intacta até hoje, enquanto muitas outras foram destruídas. um agradecimento especial pro Mehammed do @Jebena Tours Ethiopia nosso guia e amigo que nos acompanhou em toda a nossa viagem pela Etiópia, tanto nas igrejas do norte quanto nas etnias do OMO Valley.

♬ som original – marina guaragna

Esta jornada desafiadora tem sido tradicionalmente considerada um teste de fé para os peregrinos que buscam orientação espiritual — ou para os viajantes aventureiros que não têm medo de nada. É, também, um dos locais sagrados mais importantes da Etiópia, uma vez que é um testemunho da devoção dos seus construtores. A sua arquitetura única, os murais e a localização remota fizeram do espaço Património Mundial da UNESCO.

Em 2018, o padre Haylesilassie Kahsay — possivelmente uma das pessoas mais corajosas do mundo —, contou à estação britânica BBC que fazia o percurso todos os dias. “Não tenho medo. É muito difícil, mas é possível”. 

A maior parte do seu dia é passada na montanha, a estudar livros antigos, já que não há lugar mais silencioso do que aquele, nem “ninguém com quem conversar”. Ou, como o próprio diz: “Aproveito para falar com Deus e partilhar os meus segredos com Ele”.

O “trabalho” termina por volta das 18 horas, altura em que tranca a porta da igreja e percorre de volta as duas horas de caminhada até à sua aldeia, quando a luz do sol ainda ilumina o caminho. 

Os padres que, em tempos, também eram responsáveis pela igreja na montanha, chegaram a ser enterrados no local. Apesar de ser uma jornada perigosa, a verdade é que nenhum deles morreu durante a subida. “Ninguém caiu até agora graças à proteção dos nove santos. Os santos que moram nessas montanhas acompanharam os padres pelo caminho”, garantiu Haylesilassie.

Segundo a tradição cristã local, quem for capaz de escalar os penhascos será protegido pelos nove santos, o pioneiro grupo de missionários que, a partir do século V, promoveu o crescimento do cristianismo nas terras que hoje formam a Etiópia.

As subidas deverão ser feitas sempre com guias locais, que recomendam começar a caminhada de manhã, uma vez que todo o percurso ocupará metade do dia — cerca de duas horas para subir, mais outras duas para descer. A entrada no local custa 2,50€ por pessoa, mas é possível que gaste mais um pouco. O padre costuma pedir uma pequena gorjeta e o uso dos equipamentos de segurança, como as cordas, também custam cerca de 5€. Tudo isso é pago no local.

Como lá chegar

O aeroporto mais próximo da montanha fica na localidade de Mek’ele. Se partir de Lisboa, encontra bilhetes de ida e volta desde 793€, com mais do que uma escala. A viagem da cidade até Gheralda demora cerca de duas horas de carro.

A seguir, carregue na galeria para ver imagens da igreja mais inacessível do mundo — e uma das mais incríveis. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT