NiTtravel

Ek Balam: as ruínas mexicanas na Riviera Maya que poucos conhecem

Só foram descobertas no século passado. São muito menos turísticas que o Chichén-Itzá mas merecem uma visita.
Leve calçado confortável para subir a estes templos.

A Riviera Maya é conhecida pelas suas praias incríveis e também pelos templos Mayas principalmente o Chichén-Itzá. No entanto existem outros templos surpreendentes e cheios de história na península do Yucatán, que não são tão turísticos. É o caso do Ek Balam, que traduzido para português significa “o jaguar negro”, um dos símbolos mais importantes da cultura Maya.

O monumento fica perto da cidade de Valladolid, a uma hora do Chichén-Itzá e a duas de Cancún. Estas ruínas foram uma cidade Maya, construída no ano 100 antes de Cristo e habitada até ao ano 900 depois de Cristo. Consta que foram capitais do império de Tah e que, pelo seu tamanho, deverão ter sido habitadas por 18 mil pessoas.

Quando ficou despovoada, a floresta consumiu esta cidade, que só foi redescoberta perto dos anos 80 do século XX, quando começaram as escavações. Foram descobertas 45 estruturas rodeadas por muralhas de pedra que defendiam e controlavam o acesso à cidade. No entanto, as escavações continuam, pois ainda há ruínas perdidas pela floresta. 

O edifício principal desta cidade é a Acrópole. É imponente, com os seus 160 metros de comprimento e 30 metros de altura, sendo um dos maiores edifícios do Yucatán. Foi um palácio real, o que dá para perceber pelas suas fachadas com muitos pormenores e ornamentos. Nesta estrutura foi encontrado o túmulo de Ukit Kan Lek Tok, um dos principais governantes de Ek Balam. No local foram encontradas várias oferendas ao governante como conchas de madrepérola, missangas, colares e pedras preciosas.

A Acrópole.

Em vários edifícios no Ek Balam, incluindo a Acrópole, podem observar-se pinturas impressionantes nas paredes. Segundo os registos históricos tratam-se de glifos e desenhos sobre a história da comunidade Maya. Outra curiosidade é que esta cidade tinha um grande estádio com bancadas, onde a civilização Maya jogava um jogo com uma bola.

Além de toda a cultura que se pode observar neste local, o Ek Balam também tem um incrível cenote que se pode visitar e que fica a apenas um quilómetro das ruínas. Assim, quando já estiver cansado de andar, pode aproveitar as águas claras do cenote para se refrescar.

A visita a estas ruínas custa 420 pesos, o que equivale a 19€. Se for visitar de carro, saiba que o parque de estacionamento é gratuito, contrariamente a outros templos como o Chichén-Itzá. O local está aberto das 8 às 17 horas de segunda-feira a domingo.

Se é fã da Riviera Maya e da cultura mexicana não pode mesmo deixar de visitar este templo fantástico. E a boa notícia é que a NiTtravel pode levá-lo até ao México caso reserve o novo pacote exclusivo por apenas 780€ num hotel tudo incluído.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT