NiTtravel

Esta incrível floresta tem árvores de bambu que chegam aos 10 metros de altura

O bosque de Sagano conta com longas árvores que batem umas nas outras produzindo um som característico.
Eleito como paisagem sonora, este bosque irá fazê-lo meditar.

Crescendo nos arrabaldes de Quioto, a floresta de bambu de Sagano é um dos locais naturais mais tranquilos da cidade, que cada vez mais atrai turistas das mais variadas nacionalidades apenas para experienciar os sons da natureza envolvente.

Os caminhos labirínticos da floresta fazem sucesso entre os visitantes de Quioto todos os anos. Alguns até tiram fotografias ao ponto de terem tornado o local bastante famoso no Instagram. Porém, o segredo que este bosque esconde é que o som efetuado pelas esvoaçantes canas de bambu foi reconhecido pelo governo japonês como uma paisagem sonora.

A floresta encontra-se no noroeste de Quioto, perto do templo de Thenryu-ji, no distrito de Arashiyama. Tal não seria um facto extraordinário porque, normalmente, os templos budistas ficam perto de matas compostas por árvores de bambu. Estes conjuntos de árvores são vistos como um meio eficaz de afastar o mal, pois o bambu é encarado como símbolo de resistência para a cultura japonesa.

Esta é uma região com um clima imprevisível, com temperaturas baixas e luz solar intensa, sendo que os verões são curtos, quentes e quase nublados e os invernos são frios, ventosos e parcialmente nublados. A humidade é uma constante que se estende a todos os dias do ano, o que impulsiona o crescimento do bambu.

Os milhares de visitantes da floresta escolhem este local para passear por estar apenas a 30 minutos da cidade de Quioto e contrastar com o urbanismo desse local. O denso bosque é composto por trilhos construídos em estacas de madeira que atravessam os grandes caules de bambu. Estes chegam a atingir cerca de dez metros de comprimento, criando quase um toldo. Tal facto ajuda na criação de um microclima, isolando os turistas da realidade exterior.

À medida que o vento passa pelos canaviais de bambu, a madeira range, as folhas sussurram e os caules embatem uns contra os outros, criando um som bastante característico e pacífico. Este fator, aliado ao ambiente isolado e sombrio da floresta, eleva a experiência dos visitantes a um patamar de relaxamento e paz interior. Contudo, isto só é possível se o local não estiver muito cheio, caso contrário estes delicados sons não poderão ser escutados.

O ruído natural embala os mais curiosos e leva-os numa jornada de meditação enquanto passeiam pelos bosques de Sagano. Na verdade, esta melodia natural relaxante é tão adorável que o Ministério do Meio Ambiente do Japão nomeou os prazeres auditivos do local como uma das “100 Paisagens Sonoras do Japão” — uma iniciativa destinada a incentivar a população local a sair dos seus lares e apreciar as maravilhas da acústica natural do país.

Se os visitantes dispenderem nem que seja duas horas para explorar o local quando este estiver relativamente vazio, não se irão arrepender pois a beleza visual e a calma que o ambiente proporciona são totalmente recompensadores.

O melhor deste bosque é que se encontra perto do templo Tenryu-ji e da vila de Okochi-sanso: a antiga casa da falecida estrela de cinema mudo Denjiro Okochi. Embora estas sejam as três estrelas do turismo da região, vale a pena visitar o próprio distrito de Arashiyama por si só. Repleto de pequenas montanhas cheias de natureza, rios incríveis, templos históricos e ruas charmosas, esta localidade foi eleita “National Historic Site” e “Place of Scenic Beauty”.

Por estes motivos e por ser uma experiência verdadeiramente relaxante, a NiTtravel explica-lhe como lá chegar. Existem várias maneiras mas, da estação principal de Quioto, basta apanhar o Kyoto City Bus número 26 ou o Kyoto Bus 71, 72, ou 73. Para ir de comboio deve apanhar o JR San-in ou a linha de Sagano para a estação de Saga-Arashiyama, sendo que a viagem demorará 20 minutos. Os passes para toda a linha ferroviária do país podem ser adquiridos online.

Para realizar uma tour que inclua o distrito de Arashiyama, a floresta, a casa de Denjiro Okochi e o templo Tenryu-ji, a companhia Windows to Japan oferece um ótimo itinerário passando por outros pontos turísticos da zona.

A floresta de bambu está aberta 24 horas por dia e a entrada é gratuita. Por isso é também recomendável que chegue de manhã cedo para evitar filas e grandes aglomerações.

De seguida carregue na galeria para conhecer este cenário de paz.

ver galeria

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT