NiTtravel

Nesta cidade comem-se os melhores dim sum — e não é na China

Fica na América Latina e lá a cultura chinesa está tão marcada que provar este prato tornou-se um ritual semanal para muitos.
A cidade do Panamá é um dos melhores sítios para se comer este prato.

Amassar, esticar e cortar a massa. É assim que começa o processo de cozinhar os dim sum. As mãos que o fazem, vão depois rechear com carne, legumes ou marisco. Dim sum é uma refeição tradicional chinesa composta por pequenos pratos de bolinhos e outros petiscos, que são geralmente acompanhados por chá.

Assim como os espanhóis comem tapas, há gastronomia típica em todos os cantos do mundo e a China não é exceção. Com uma grande variedade de ingredientes, são preparados de várias maneiras: cozidos no vapor, fritos ou assados. Normalmente, são consumidos durante o brunch, a partir do final da manhã até à hora do almoço.

Os imigrantes chineses levaram a carne de porco e o char siu para muitos países do globo, mas na Cidade do Panamá, o dim sum é um ritual semanal para muitos e é lá que se vai encontrar esse prato chinês de excelência. Sim, espante-se ao saber que é a 15 mil quilómetros de distância, e em dois continentes diferentes com um oceano pelo meio, que vai encontrar o segundo melhor spot para se comer esta iguaria (só superado, obviamente, pelo país que lhe deu origem).

O Panamá não compreende apenas o Canal do Panamá, a obra que virou praticamente o seu símbolo. Aliás, a localização geográfica na América Central, faz dele um local a visitar, com praias incríveis e uma natureza exuberante. Ponto estratégico de ligação entre oceanos e hemisférios, ainda que tenha começado a sua formação de forma conturbada, depois da sua independência, tornou-se a terra das oportunidades. Foi então um destino de várias pessoas que procuravam melhores condições de vida.

Um em cada cinco panamenhos pode reivindicar alguma forma de ascendência chinesa.

E é lá que o dim sum tem um gosto tão bom quanto em Hong Kong. Para os moradores, já não é estranho que o menu seja servido com pratos buffet de estilo cantonês, como chow mein com noodles e ovo. Afinal, o Panamá abriga uma das maiores e mais antigas comunidades chinesas da América do Sul.

Os primeiros 705 imigrantes chineses, responsáveis por levarem a cultura, costumes e gastronomia, chegaram ao país em 1854 e desde essa altura muitos outros para lá foram. Atualmente, um em cada cinco panamenhos pode reivindicar alguma forma de ascendência chinesa.

Não é surpresa, então, que a esta cultura esteja tão marcada na herança do Panamá. Os habitantes locais conhecem os costumes, datas e alimentos servidos em cada celebração chinesa. E o molho de soja foi incorporado como um alimento básico em muitos lares panamenhos.

Ainda assim, a contribuição mais significativa é provavelmente o dim sum, conhecido coloquialmente no Panamá como desayuno chino, isto é, café da manhã chinês. É habitual e bastante normal que os restaurantes se encham com pessoas de todas as nacionalidades para comer pratos típicos cantoneses, como arroz frito, chow mein e carne de porco agridoce.

Aqui está o prato.

Se já se está a babar enquanto vê opções de viagem, saiba que o restaurante dim sum mais antigo do Panamá é o Kwang Chow, que foi fundado na década de 1940. Localizado no Barrio Chino da Cidade do Panamá (Chinatown), a família Loo comprou o restaurante em 1978, onde serve comida chinesa.

Se quiser adicionar ketchup ao seu chow mein, lá pode fazê-lo, mas não prometemos que seja servido sem um ar de julgamento. A carne de porco agridoce é servida com um acompanhamento de batatas fritas e os noodles ostentam a adição inesperada de presunto.

Espalhada já um pouco por todo o país, é mesmo na Cidade do Panamá que se pode encontrar a melhor cozinha cantonesa, só precisa de se preocupar em viajar até à região. Uma vez lá, basta escolher um dos vários restaurantes onde pode experimentar os sabores originais chineses.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT